18 Oct, 2017 Última atualização em 6:38 PM, Oct 9, 2017

Paulinho da Viola chega a BH para dois shows

Publicado em Cultura & Arte
Lido 553 vezes
Avalie este item
(0 votos)
Tagged sob

Centro Cultural Minas Tênis Clube se veste de azul e branco Portela para receber o príncipe do samba, nos dias 26 e 27 de agosto.

Samba, choro, carnaval e poesia. Assim pode-se descrever a obra de Paulo César Batista de Faria ou, para todos os brasileiros e apreciadores de música no mundo, Paulinho da Viola. Nos dias 26 e 27 de agosto, sexta e sábado, às 21h, o Teatro Bradesco do Centro Cultural Minas Tênis Clube, recebe duas apresentações do príncipe do samba. Os ingressos, já podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro e no site compreingressos.com, custam R$250 (inteira).

Batizado de Paulinho da Viola por Sérgio Cabral e Zé Keti, o artista passeia pela MPB e pelo samba com destreza. Paulinho não acolheu o conselho que seu pai lhe deu aos 14 anos, e ganhou o festival da canção da TV Record de 1969 com a angustiante “Sinal Fechado”. De acordo com o livro “A era dos festivais”, de Zuza Homem de Mello, a canção apresenta a dificuldade de diálogo, o isolamento da cidade, a necessidade de fuga e reflete a amordaça da comunicação. “Para a historiadora Ângela de Castro Gomes esta é a melhor música de festival com conotação política elaborada em pleno regime militar”, diz o autor do livro.

Paulinho da Viola traçou sua história participando das bienais de samba (1968 e 1971), compondo sob encomenda para novelas (Simplesmente Maria, 1970, e Pecado Capital, 1975), e resgatando o denominado samba de morro, sem deixar a influência dos arranjos sofisticados de João Gilberto. Portelense de coração, Paulinho fez samba-enredo para a agremiação azul e branca e o mais famoso samba exaltação da escola, “Foi um rio que passou em minha vida”.

 Paulinho da Viola é o representante do verdadeiro samba, aquele que desceu o morro, passou pela calçada de Copacabana, pegando a influência da Bossa Nova, e agora se apresenta sofisticado e considerado o ritmo que define a nação. O trabalho de Paulinho é o elo entre diversas tradições populares como o samba, o carnaval e o choro, além de suas incursões em composições para violão e peças de vanguarda. Um dos maiores representantes do samba e herdeiro do legado de Cartola, Candeia e Nelson Cavaquinho.

AGENDA |  Paulinho da Viola • 26 e 27 de agosto (sexta-feira e sábado) – 21 horas - Ingressos: R$250,00 (Inteira) R$125,00 (Meia). Mais informações: (31) 3516-1360.

Jornal Belvedere

Artigos assinados são de inteira responsabilidade do autor. Não expressando, portanto, a opinião da redação do Jornal Belvedere.

Folhear Última Edição

269

 

Anuncie Aqui2016 05