30 Apr, 2017 Última atualização em 2:22 PM, Apr 27, 2017

Patrimar recupera Mirante no Conjunto Arquitetônico da Pampulha

Monumento “Eterna Modernidade”: homenagem à colaboração coletiva dos gênios que trabalharam na criação do Conjunto Arquitetônico da Pampulha Monumento “Eterna Modernidade”: homenagem à colaboração coletiva dos gênios que trabalharam na criação do Conjunto Arquitetônico da Pampulha
Publicado em Cultura & Arte
Lido 349 vezes
Avalie este item
(0 votos)
Tagged sob

Belo Horizonte ganha mais um espaço agradável em meio ao Conjunto Arquitetônico da Pampulha.

No último dia 13 de dezembro, foi inaugurado o Mirante Bandeirantes, localizado na Avenida Otacílio Negrão de Lima, em frente à Casa Kubitschek. O Mirante passou por um processo de recuperação e revitalização, tornando-se um espaço aconchegante, para convívio e contemplação da bela paisagem do local e sua arquitetura única. Além disso, o mirante recebeu o monumento “Eterna Modernidade”, em homenagem à colaboração coletiva dos gênios que trabalharam na criação do Conjunto Arquitetônico da Pampulha.

A Patrimar faz parte desta história, pois patrocinou a recuperação do Mirante Bandeirantes, que passou por uma intervenção de requalificação a partir de projeto desenvolvido pela arquiteta Michele Ziade, com bancos, nova iluminação e banheiros e está pronto para receber moradores e visitantes para a contemplação do local e de todo o conjunto da Pampulha. Já o monumento é de autoria da escultora Vânia Braga, em parceria com o escultor Diego Rodrigues e foi produzido pela Fundição Artística São Vicente. O monumento “Eterna Modernidade” integra as atrações do Mirante, abrilhantando ainda mais o local, que é um grande presente para a capital mineira.

A Patrimar esteve presente em todas as fases da conquista do Conjunto Arquitetônico da Pampulha do título de Patrimônio Cultural da Humanidade, reconhecido pela UNESCO. “Sabíamos que havia esse desejo antigo de que Belo Horizonte tivesse a chancela para recebimento do título da UNESCO através da Pampulha. Desta forma, a Patrimar começou a solicitar que a Prefeitura conduzisse suas contrapartidas para viabilizar esta conquista”, desta Alexandre Veiga, presidente da Patrimar.

“Existem situações que fazem a diferença, receber esse título em um momento econômico complicado, pelo qual passa todo o país, foi uma benção de Deus para Belo Horizonte, pois isso gera um grande retorno para a cidade, através do turismo, hotéis, restaurantes e comércio em geral. Estamos lutando para sair da crise, mas sabemos que isso não ocorre de uma dia para o outro, portanto, acredito que esse reconhecimento da UNESCO tem muito a agregar à Belo Horizonte, e nós da Patrimar estamos muito orgulhosos de fazer parte desta história. É uma conquista que fará de Belo Horizonte, com toda a certeza, uma cidade melhor”, conclui Alexandre Veiga.

Jornal Belvedere

Artigos assinados são de inteira responsabilidade do autor. Não expressando, portanto, a opinião da redação do Jornal Belvedere.

Folhear Última Edição

258

 

Anuncie Aqui2016 05