24 Jun, 2017 Última atualização em 6:38 PM, Jun 23, 2017

Ingredientes cervejeiros: o Lúpulo

Publicado em Gastronomia
Lido 491 vezes
Avalie este item
(0 votos)
Tagged sob

Por Bernardo S. Brandão Vianna *
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

O que é o lúpulo e qual sua verdadeira função na cerveja? Para desvendar estas perguntas, vamos falar sobre a planta trepadeira da espécie Humulus lupulus.

Carecedora de frio e solo específico para seu desenvolvimento, a trepadeira do lúpulo é plantada em apenas algumas regiões do mundo como na Alemanha, República Checa, Polônia e Inglaterra, e também fora de solo europeu como nos Estados Unidos, Japão, China, Austrália e Nova Zelândia. No Brasil, alguns experimentos vem sendo realizados nos últimos anos, com pequenos progressos. Nosso clima temperado impede o crescimento das flores do lúpulo, que são as responsáveis pela produção de uma resina chamada lupulina que confere os sabores e aromas à cerveja. No entanto, algumas cervejarias brasileiras já se aventuraram e lançaram cervejas que continham parcela de lúpulo brasileiro em sua receita.

Apenas para registro, para nós cervejeiros, se alguém sugerir comer uma salada, beberemos uma cerveja pois já que o lúpulo é uma planta, então cerveja é salada!

Na antiguidade, quando as propriedades do lúpulo ainda não eram conhecidas, utilizava-se diversos tipos de ervas a fim de condimentar a cerveja. O chamado Gruit era muito utilizado e se tratava de uma mistura de ervas responsáveis por prover certo amargor e por condimentar o líquido. A descoberta das propriedades do lúpulo na cerveja encontra muita controvérsia na literatura cervejeira, mas sabe-se que por suas qualidades de conservante natural e ação bacteriostática, o lúpulo começou a ser utilizado no fabrico da cerveja.

Na cerveja, o lúpulo além de ter a função de um conservante natural, atua como um ingrediente balanceador para o malte. Malte e lúpulo são como arroz e feijão. Ambos se completam e dão o balanço para a refeição, no nosso caso, para a cerveja. Uma cerveja sem lúpulo, seria um fermentado doce, dependendo da quantidade e tipos de malte utilizados na fabricação. Com seu sabor amargo o lúpulo completa a cerveja de forma a torná-la balanceada entre o dulçor e amargor.

Hoje em dia é possível encontrar diversos tipos de lúpulos sendo eles divididos entre qualidades por amargor, aroma e amargor/aroma. Sabores e aromas herbais, florais e cítricos são os mais comuns no lúpulo. As resinas produzidas pela flor da trepadeira, possuem alfa ácidos que quanto mais presentes, mais amargor é conferido no tipo de lúpulo.

Por falar em amargor, o IBU – International Biterness Unit (Unidade Interacional de Amargor), é a forma que se mede o amargor das cervejas. Quanto mais alto o IBU, mais amarga a cerveja. As cervejas mais comuns produzidas e consumidas no solo brasileiro, as american lagers, tem IBU em torno de 5 a 15, enquanto as IPA’s podem chegar a 70 IBU e suas versões Double IPA ou Imperial IPA alcançam 120 IBU. Muito se especula sobre a percepção do amargor da cerveja após os 100 IBU. Contudo, os lupulomaníacos ao redor do mundo não parecem se importar com polêmicas e cada vez mais vemos chegar ao mercado cervejas ditas com até 1.000 IBU!

Estilo com marcante presença de lúpulo, a IPA – India Pale Ale, é uma cerveja nascida na Inglaterra na época da colonização da Índia. Conta a história que os marinheiros navegavam estocando seus barril de Pale Ale e que quando aportavam na Índia, a cerveja já não estava própria para o consumo devido ao longo tempo de viagem. Assim, passou-se a adicionar lúpulo em maiores quantidades à ale inglesa a fim de que os barris pudessem chegar à Índia ainda no ponto para terem seu líquido brindado e degustado. Desta forma, nasceram as India Pale Ale.

As IPA conquistaram o mundo e se tornaram um dos estilos de cerveja mais comuns nos bares, pubs e supermercados norte-americanos. Diante da paixão pelo lúpulo, surgiu nos Estados Unidos o sub estilo American IPA, que hoje é uma das cervejas mais adoradas e produzidas por cervejarias e cervejeiros caseiros pelo mundo. As American IPA possuem amargor intenso e notas principalmente cítricas dos lúpulos produzidos na terra do Tio Sam. No Brasil não é diferente já que as versões americanas das IPA tem caído no gosto dos cervejeiros brasileiros, tanto que é já possível hoje em nosso país participar de vários eventos cervejeiros dedicados apenas às IPA’s.

Ame ou odeie o amargor da cerveja, ele é uma característica indispensável no nosso líquido. Descubra qual o ponto de amargor que te agrada e beba com moderação!

Dica de harmonização: American IPA

As cervejas do estilo American IPA apresentam coloração de dourada a cobre e possuem aroma e sabor marcantes florais, herbais e/ou cítricos provenientes dos lúpulos. O amargor evidente é característico e pode ainda ser perceptível o sabor maltado. As American IPA harmonizam com comidas bem condimentadas e apimentadas. Burgers com bacon são uma ótima pedida. Carnes vermelhas grelhadas ou pratos mais gordurosos também são uma opção.

CERVEJEIRO | Sommelier de Cervejas pela Academia Sommelier de Cervejas de Minas Gerais e Prático Cervejeiro pelo sistema FIRJAN/SENAI. Contato: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Jornal Belvedere

Artigos assinados são de inteira responsabilidade do autor. Não expressando, portanto, a opinião da redação do Jornal Belvedere.

Folhear Última Edição

261

 

Anuncie Aqui2016 05