23 Nov, 2017 Última atualização em 1:26 PM, Nov 13, 2017

Projeto de viaduto de acesso ao Belvedere sob a BR-356, no Morro do Papagaio, está pronto

PROJETO  | O entroncamento da BR-356 com o Belvedere receberá dois viadutos com opções de acessos totalmente livres, que vão descongestionar o trânsito e agilizar o fluxo de veículos PROJETO | O entroncamento da BR-356 com o Belvedere receberá dois viadutos com opções de acessos totalmente livres, que vão descongestionar o trânsito e agilizar o fluxo de veículos
Publicado em Mobilidade Urbana
Lido 2750 vezes
Avalie este item
(0 votos)
Tagged sob

Planejamento prevê a construção de dois viadutos que se entrelaçam por alças, permitindo o deslocamento e acessos no trecho da interseção entre a BR-356 e a entrada do Belvedere, no pela Avenida Eurico Gaspar Dutra, próximo ao Morro do Papagaio.

Um dos projetos conceituais de mobilidade mais completos para a região da BR-356, no entroncamento com o Belvedere, no primeiro trevo de acesso ao bairro, faz parte de medidas mitigadoras e compensatórias de um futuro empreendimento próximo à comunidade do Acaba Mundo. Elaborado pelo engenheiro Osias Baptista, mestre em Geotecnia e Transportes pela Universidade Federal de Minas Gerais, sócio diretor da Baptista Engenharia de Transportes e Arquitetura Ltda., com vasta experiência na área de Engenharia de Transportes, com ênfase em Planejamento de Transportes, o estudo é a solução mais completa para desafogar o trânsito naquela localidade e aumentar a velocidade de operação de veículos e ônibus.

“Trata-se da construção de dois viadutos que se entrelaçam por alças, criando acessibilidade pontual, permitindo o deslocamento e acessos aos vários pontos de confluência, no trecho da interseção entre a BR-356 e a entrada do Belvedere, no acesso à Avenida Eurico Gaspar Dutra. São soluções adotadas para aquela área de interseção de grande importância porque interferem na capacidade de tráfego, na velocidade de operação e na segurança dos motoristas”, afirma o especialista em trânsito.

De acordo com Osias Baptista, o projeto conceitual foi concebido a partir de dados captados em um programa de simulação do trânsito na região em horários de pico da parte da manhã, do almoço e da tarde. A simulação atual do trânsito mostra vários pontos de gargalo e adensamento na BR-356, no sentido Rio de Janeiro à Savassi, e o mesmo acontecendo no final do dia em sentido contrário. A proposta parte da ideia de trafegar sobre o viaduto em vias exclusivas que se entrelaçam em toda a sua extensão, com encaixes que evitam as atuais interferências, tornando o trânsito livre, sem semáforos e mais ágil.

Trânsito livre

“Para se ter uma ideia, veículos que vêm do Belvedere, da Eurico Gaspar Dutra, e faziam a operação de retorno no semáforo na BR, terão acesso livre para a 356 no sentido Rio de Janeiro e no sentido Savassi. O mesmo ocorre com os veículos que vêm da Nossa Senhora do Carmo em direção ao Belvedere, onde vão acessar uma rampa à direita no viaduto e terão acesso ao bairro, ao Sion pela Rua Patagônia, à BR-356 no sentido Rio de Janeiro ou mesmo para um retorno no sentido à Avenida do Contorno. Serão várias opções de acessos totalmente livres, que vão descongestionar o trânsito e agilizar o fluxo de veículos e ônibus”, explica Osias Baptista.

O projeto também contempla algumas modificações para a melhoria do tráfego, como a retirada da rotatória da Praça Haiti e a instalação de um retorno mais à frente na Avenida Eurico Gaspar Dutra, a remoção de parte dos maciços na lateral próxima à entrada da Patagônia para alargar a entrada pelo Sion, a construção de um retorno logo após o local onde hoje está o semáforo, para permitir o retorno de quem vem no sentido Rio de Janeiro para o São Bento, Santa Lúcia, etc.  Além, é claro, da opção de utilizar o retorno já existente do Ponteio.

Por cima dos viadutos, as alças e interseções vão permitir o cruzamento de um lado ao outro da BR sem retenção do trânsito e com a distribuição do tráfego para pontos diferentes do trajeto pretendido. Cada ramo de direção e acesso foram projetados individualmente, em função das características locais, de forma a atender da melhor maneira possível o fim a que se destina.

“Em cada caso específico de análise desse projeto vê-se um grande número de fatores que irão definir a solução mais adequada e, consequentemente, melhor para o trânsito nessa região. Quer seja na capacidade de escoamento do tráfego das vias que chegam até aquele ponto, quer seja pelo tempo gasto, pela segurança e conforto de poder realizar o trajeto sem o estresse das longas filas de congestionamento”, observa Baptista.  

Por ser uma grande solução para o entroncamento da BR-356 com o Belvedere, trata-se de uma obra cara que envolve viadutos, alças, obras especiais de drenagem, condições topográficas e geográficas locais. Mas, também não requer desapropriações, nem supressão vegetal, o que facilita o processo.
O fato é que os viadutos vão permitir que os veículos que transitam por aquela interseção sigam direções ou correntes de tráfegos diferentes que podem juntar-se em novos pontos e saídas ou convergirem em determinados trechos de destino. E esse é o segredo para liberar o trânsito naquele local e exterminar as longas filas de veículos que se formam em vários pontos de conflito da BR, chegando a comprometer vias secundárias, e assim a mobilidade e a qualidade de vida de todos os usuários da rodovia.

O projeto conceitual desse complexo viário já foi apresentado à Prefeitura de Belo Horizonte e à BHTrans, que solicitaram alguns ajustes no estudo. Trata-se de uma interferência no acesso da pista lateral, no trecho próximo à comunidade do Morro do Papagaio, permitindo uma interface entre uma via que está contemplada no Programa de Estruturação de Vias Urbanas (VIURBS), e que vai ligar a Barragem Santa Lúcia à BR-356, para acesso ao local onde será implantado também o BRT da Avenida Nossa Senhora do Carmo.

O estudo desse conjunto de transposição viária sobre a BR-356 segue sob a atenção e os cuidados do especialista em Engenharia de Transporte, Osias Baptista.

Última modificação em Terça, 29 Novembro 2016 16:27
Jornal Belvedere

Artigos assinados são de inteira responsabilidade do autor. Não expressando, portanto, a opinião da redação do Jornal Belvedere.

Folhear Última Edição

271

 

Anuncie Aqui2016 05