26 May, 2017 Última atualização em 2:06 PM, May 11, 2017

Paisagem natural continua atraindo grandes negócios

Publicado em Novas Centralidades
Lido 2264 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Conhecida também pelas suas riquezas naturais, a nova centralidade do Vetor Sul de crescimento da RMBH prevê áreas de convivência e bosques que proporcionarão momentos de contemplação, graças a uma iniciativa da AVS/ Associação dos Empreendedores dos Bairros Vila da Serra e Vale do Sereno.

O projeto, de conectividade ambiental, promove a arborização de áreas de convivência do bairro, usando as espécies nativas da região para formarem avenidas arborizadas em meio aos empreendimentos. “São os chamados corredores ecológicos”, informa o presidente da entidade, Gilmar Dias. O objetivo é interligar e enriquecer a vegetação local: “Além de preservar a bela paisagem, estamos assegurando a qualidade do ar”, observa o empresário.

A AVS também identificou, através de um inventário florístico, todas as espécies nativas. A partir de então, a entidade disponibiliza para as empresas que estão chegando à centralidade, informações para que contemplem em seus  projetos paisagísticos, espécies da flora regional.
Os dois bairros, na avaliação de Gilmar Dias, continuarão a atrair empresas interessadas em fechar bons negócios, devido, não só aos atributos naturais, mas, também à localização e à qualidade de infraestrutura disponível.

“A escassez de terrenos na região Sul de BH também contribui para que isso aconteça. Através da Associação, estaremos atentos para que os empreendedores que aqui chegam incorporem nossa postura de respeito à legislação ambiental, assegurando a qualidade de vida e a segurança dos moradores.”

Quanto às diretrizes de ocupação, a opção, segundo Dias, é pela implantação de empreendimentos verticais, com edificações que observem a cota mínima de ocupação urbana em extensas áreas verdes. “Nosso objetivo é o de sempre promover a convivência harmoniosa entre a moradia, o trabalho e a preservação ambiental”.

 

Plano de Segurança para o Vila da Serra e Vale do Sereno

O ponto de partida do projeto é um planejamento, obtido a partir de pesquisas realizadas na região do Vila da Serra e  Vale do Sereno. “Nossa meta é reconstruir conceitos de segurança que envolvam esforços públicos e privados para oferecermos  serviços eficientes e adequados à demanda  de nossos clientes”, observa  o diretor da TIS, Coronel Severo.

Hoje, as principais demandas, segundo ele, estão voltadas para a segurança privada. “O enfoque das funções de vigilância e segurança centrado, única e exclusivamente, no Estado, vem sendo transformado, abrindo espaço para que a iniciativa privada passasse a complementar, de forma mais efetiva, os esforços de manutenção da ordem operados pelas organizações policiais”, afirma.  “Contudo - prossegue -, para que os esforços privados de segurança complementar cumpram o seu papel, não basta apenas contratar e locar vigilantes: devemos conceber e construir um sistema operacional eficaz e que conte com profissionais qualificados e preparados para o exercício de suas atividades. Nossa equipe, por exemplo, tem vasta experiência nas áreas de planejamento estratégico e gestão de serviços operacionais de segurança pública e privada. Além disso, utilizamos tecnologia moderna e nossa infraestrutura organizacional está adequada à prestação dos serviços de gerenciamento racional que trabalha com planejamento, monitoramento e avaliação de resultados”, ressalta o diretor da TIS.

“Este é o principal objetivo do Plano Diretor de Segurança Comunitária do Vale do Sereno e o nosso objetivo é dotar a nova centralidade de um instrumento que lhe permita gerenciar, com eficácia e produtividade, todas as atividades de segurança patrimonial e pessoal das pessoas que irão residir e trabalhar aqui na região.”

Na opinião do diretor, “nos dias de hoje, as cidades exigem revisão de conceitos. Dentre eles, o de segurança e prevenção criminal se coloca como um dos mais importantes para se agregar valor aos empreendimentos imobiliários  lançados que priorizam a qualidade de vida de seus moradores”.

Jornal Belvedere

Artigos assinados são de inteira responsabilidade do autor. Não expressando, portanto, a opinião da redação do Jornal Belvedere.

Mais nesta categoria: Presente e Futuro »

Folhear Última Edição

258

 

Anuncie Aqui2016 05