26 May, 2017 Última atualização em 2:06 PM, May 11, 2017

Projeto Via20 é apontado como solução para desafogar o trânsito

Publicado em Novas Centralidades
Lido 2614 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Poder público, moradores e empresários se mobilizam por construção de rodovia na área do ramal desativado da antiga Rede Ferroviária,

para abrigar uma das maiores e mais completas soluções de mobilidade para atender à demanda de Nova Lima, Rio Acima, Raposos e também do Belvedere.

Enquanto está sendo proposta uma solução para o trânsito da região do Belvedere e Nova Lima, através de um estudo de tráfego viário que contempla algumas intervenções no trevo do BH Shopping, empresários do Vila da Serra e Vale do Sereno, o poder público e moradores se mobilizam para uma ampla discussão sobre a implantação da Via20, ou Via Estruturante Sul como vem sendo chamada. A ideia é utilizar o ramal desativado da antiga Rede Ferroviária para abrigar uma das maiores e mais completas soluções de mobilidade para atender à demanda de Nova Lima, Rio Acima, Raposos e também do Belvedere. A execução dessa obra seria a única solução prevista por técnicos de logística de tráfego para a demanda de veículos na região em 2020, ou seja daqui a cinco anos.

O projeto da Via20 que já possui traçado definitivo e contempla pouco mais de 13 km de extensão, através de uma grande avenida saindo próxima à rodoviária de Nova Lima, no Bairro Mingu, praticamente no Centro da cidade, ladeando a estradinha para Sabará, passando pelo Complexo de Águas Claras da Vale, até encontrar a Via de Ligação, e desta seguindo na área lindeira da Alameda da Serra até um novo trevo que seria construído antes da entrada do Anel Rodoviário, já no Bairro Olhos D’Água.

Maior mobilidade

De acordo com Roberto Melo, engenheiro responsável pelo projeto e grande entusiasta para a implantação dessa via, trata-se de uma solução mais abrangente e que trará maior mobilidade para a região. Ela utilizaria apenas 22 metros de largura, permitindo assim outras utilizações significativas e importantes nesse trecho em questão como o compartilhamento para outros projetos como o apêndice do Lote 2 do Projeto Trem, que passa pelos municípios Mário Campos, Sarzedo e Ibirité, atendendo locais como o Inhotim, ligando também Ibirité a Águas Claras, passando pelo Belvedere.

O engenheiro explica que o traçado da linha existente – Ramal Águas Claras – facilita a integração de novas composições de mobilidade em razão de sua área, são 80 metros de largura e quase 13 km de extensão. “Há espaço para outras composições, chancelando outras utilizações significativas no contexto da região como a implantação de parques, áreas de lazer, pistas de corrida e ciclovias. Para melhor compreensão, estamos falando da utilização de 22 metros de largura para a caixa pavimentada ou concretada, sendo duas pistas de 10 metros cada e um espaço entre elas de 14 metros de largura”, explicou.

 

Projeto soluciona demanda em longo prazo

Para Roberto Melo, a Via Estruturante Sul é o único projeto que vem solucionar em longo prazo a grande demanda relativa a mobilidade urbana. Estudo de contagem volumétrica encomendado por ele, para dimensionar o tráfego na confluência da rodovia MG-030 na altura do pontilhão, próximo ao Posto Fernanda, e a Via Stael Bicalho, apontou um fluxo diário de 27 mil veículos originários de Nova Lima em direção ao Belvedere e à BR 356.

“Estamos propondo uma solução completa e definitiva para o problema do trânsito. Uma via sem semáforos, ligando o centro de Nova Lima à BR 356, com conversões mais modernas e seguras para o anel, retirando todo o contingente de veículos que passa pelo BH Shopping e Belvedere em direção à BR-040. Quem vai ao Rio seguirá por esta via em linha reta, até o bairro Olhos D´Água, utilizando um trevo em formato de ferradura; no sentido inverso, também o motorista pegará uma marginal na BR e seguirá até o acesso à Via20, indo direto ao Centro de Nova Lima, ou para algumas saídas que poderão ser contempladas para o Vila da Serra e outros bairros. Ou seja, é uma via onde cada um identifica seu conforto e a melhor utilização de seu traçado”, explicou.

Ele ressalta o quanto é fundamental para todos a implantação da Via 20: “ Além de ser a maior solução viária para esta região, sua execução evitaria a vulnerabilidade do terreno que hoje registra algumas ocupações clandestinas, na altura do bairro Olhos D´Àgua”. O engenheiro ainda teme que o projeto de desafetação da Estação do Cercadinho, que está para ir à votação em primeiro turno, não contemple esta área do antigo ramal ferroviário. “Seria injusto não desafetar justamente as áreas que poderão receber a maior obra de mobilidade urbana do Vetor Sul de Belo Horizonte”, alertou.
Roberto Melo informou que por enquanto os esforços estão concentrados nos processos junto à Secretaria do Patrimônio da União (SPU), que é o organismo que responde atualmente pelo trecho da antiga linha férrea. Mas, que a partir do próximo ano o assunto será amplamente discutido com todos os setores envolvidos, uma vez que ela contempla a única solução para atender à demanda de tráfego e trânsito em 2020.

Última modificação em Sexta, 12 Dezembro 2014 12:06
Jornal Belvedere

Artigos assinados são de inteira responsabilidade do autor. Não expressando, portanto, a opinião da redação do Jornal Belvedere.

Mais nesta categoria: Crônica • Dias serenos »

Folhear Última Edição

258

 

Anuncie Aqui2016 05