24 Nov, 2017 Última atualização em 1:26 PM, Nov 13, 2017

Visagismo garante bem-estar e realização na escolha do novo visual

Publicado em Beleza & Estética
Lido 463 vezes
Avalie este item
(1 Voto)

Técnica combina cabelo com as características do rosto e da personalidade de cada pessoa.

Muitas pessoas começam o ano querendo mudar e inovar no visual e a mudança no cabelo é sempre a primeira opção. O cabelo é um molde para rosto que permite realçar a beleza e disfarçar os detalhes que incomodam em relação ao formato. As pessoas vivem em busca da beleza ideal e, muitas vezes, acreditam que terem o cabelo igual ao de outras pessoas ajudará a ficarem mais bonitas. Entretanto, essa não é a melhor forma de melhorar a aparência e se sentir bem, afinal, o formato do rosto e da estrutura óssea pode não combinar com o novo modelo escolhido. Ao escolher o novo visual, o profissional pode ajudar muito através das técnicas do visagismo - arte de criar uma imagem pessoal -, revelando qualidades, conforme as próprias características físicas e de personalidade.

O coordenador do Instituto L’Oréal Professionnel de Belo Horizonte (ILP-BH) Rogério Chaves explica que na maioria das vezes que as pessoas pensam em mudar, uma das primeiras coisas que querem é alterar o corte e a cor do cabelo. O visagismo é uma forma de garantir que as mudanças fiquem bem em quem está sendo aplicadas. “Conseguimos perceber que estilo de cabelo combinará mais com cada cliente, levando em consideração as características externas e da própria personalidade”, garante.

Segundo Chaves, as mechas podem alongar, arredondar, alargar ou afinar um determinado tipo de rosto e, por isso, a escolha deve ser consciente para não gerar arrependimento. “As características de cada cabelo devem ser levadas em consideração ao escolher o novo modelo. Deve-se avaliar o fio, a quantidade, o comprimento, o volume e outras características que podem interferir no resultado. Entretanto, não existe uma regra geral, afinal, mais importante é se sentir bem e feliz consigo mesmo”, observa.

O coordenador destaca que o cabelo deve realçar as características externas e internas, colocando foco na personalidade. Pode-se optar por cortes mais românticos, mais casuais ou extravagantes. “Durante a escolha é preciso analisar temperamento, estilo de vida, profissão, desejos e necessidades de cada cliente”, alerta.

O rosto oval, por exemplo, tem uma grande variedade de cortes por ter uma harmonia entre o queixo e a testa. O redondo, geralmente, é mais curto e mais largo e os cortes mais longos costumam ficar melhores, assim como as franjas que podem ser indicadas de forma mais leve e sem volume. Já, no modelo quadrado, vale apostar em cabelos no comprimento de médio a longo e as franjas um pouco mais altas para diminuírem o tamanho da testa, se esse for caso, por fim, o modelo triangular, que pode optar por franjas leves e desfiadas e com tamanhos na altura do queixo.

O profissional deve, sempre, respeitar o desejo do cliente. Mesmo que não concorde com o modelo escolhido, não é indicado debater, mas, sim, instruir. “É fundamental explicar algumas regras do visagismo para adaptar a vontade do cliente ao modelo mais adequado. O ideal é utilizar as técnicas para fazer com que o cliente se sinta bem e realizado, lembrando que o modelo deve encontrar o bem-estar, mesmo contradizendo o convencional”, recomenda.

Jornal Belvedere

Artigos assinados são de inteira responsabilidade do autor. Não expressando, portanto, a opinião da redação do Jornal Belvedere.

Folhear Última Edição

271

 

Anuncie Aqui2016 05