25 Sep, 2017 Última atualização em 4:59 PM, Sep 12, 2017
Publicado em Casa & Jardim
Lido 585 vezes
Avalie este item
(4 votos)

Mãezinha, já está chegando novamente o dia das mães. O tempo aqui passa tão rápido, que ninguém mais escreve cartas.

Até o telefone está sendo substituído por mensagens e e-mails.

Porém, o dia das mães continua o mesmo porque amor de mãe não muda. E nesse corre-corre do dia-a-dia fica o vazio que tem que ser preenchido por sentimentos. As emoções estão afloradas e eu estou me sentindo mais útil. Não fui a professora que a senhora queria, mas ensino as flores a falarem. E, para este dia das mães preparei para a senhora um arranjo, não tão suntuoso como a senhora gostava, mas cheio de significados.

As cinco rosas representam seus cinco filhos em uma sequência cronológica, sendo que as cores foram escolhidas de acordo com meu olhar para as nossas personalidades.
A Tei, a rosa chá. Na formação do pigmento da cor tem a dosagem certa. O sentimento é contido, só o carinho amoroso consegue atravessar barreiras. É a mais fácil de conviver, como a rosa que agrada a todos.

A Solange, a rosa laranja, cor whisky. Uma explosão de sentimentos, uma alegria contagiante, que está sempre pronta para ajudar a todos, mas também representa atenção e andar sobre cordas. O importante dela é o tamanho do seu amor, a sua coragem de dar a vida, a cara a tapa, na certeza de que o amor tudo pode, tudo vence.

A minha rosa é a vermelha. A senhora lembra que precisava ficar escondendo meu vestidinho vermelho por que eu só queria vesti-lo? Com certeza é a cor da paixão por tudo aquilo que me proponho a fazer.

Para meu irmão, escolhi a rosa branca, não por ser discreta, mas sim por ser o branco a presença de todas as cores. E ele consegue ter todas essas facetas. É o porto seguro, tanto para nós irmãs, esposas e filhas, como também para todos familiares e amigos.

Para minha irmã caçulinha, escolhi a rosa Nicole, é a rosa mais bonita. É mesclada, na qual a cor não se define totalmente, mas a essência dessa rosa é a mesma essência da minha irmã: amor e carinho.

Não estou certa se concorda com a definição que dei para seus filhos, mas do arranjo sei que vai gostar. Não queria que eu transformasse meu hobby em profissão, mas foi a senhora a primeira pessoa a me falar que as flores se transformavam ao passar pelas minhas mãos.

Continue protegendo a todos nós e receba os nossos parabéns, nosso carinho e nossas orações neste dia tão especial.

Beijos, com amor. Orlene

Jornal Belvedere

Artigos assinados são de inteira responsabilidade do autor. Não expressando, portanto, a opinião da redação do Jornal Belvedere.

Folhear Última Edição

267

 

Anuncie Aqui2016 05