28 Jun, 2017 Última atualização em 6:38 PM, Jun 23, 2017

Campanha da AMAVISE atrai eleitores para Nova Lima

Publicado em Cidadania
Lido 257 vezes
Avalie este item
(1 Voto)

“Se você é morador de Nova Lima, está na hora de transferir seu título”. Com este apelo a campanha da Associação de Moradores do Vila da Serra e Vale do Sereno (AMAVISE) de transferência de título eleitoral de BH para Nova Lima alcançou o maior sucesso até agora.

Depois de lutar para ter uma representação do Cartório Eleitoral de Nova Lima na subsede da Prefeitura no bairro Vila da Serra, a campanha de cidadania movida pela AMAVISE atraiu a atenção dos eleitores para o município de Nova Lima e, com isso, tem alcançado um resultado significativo.
A iniciativa segue até o dia 4 de maio, prazo final estabelecido pela Justiça Eleitoral – 150 dias antes das eleições - para a regularização de títulos. Todos os moradores da região, inclusive de condomínios horizontais, que moram em Nova Lima há pelo menos três meses e ainda não transferiram o título podem solicitar a atualização do domicílio eleitoral junto ao cartório.

Posto volante

No entanto, quem não conseguiu transferir o título eleitoral no Posto Volante montado na subsede da Prefeitura de Nova Lima no Vila da Serra terá que fazê-lo no Cartório Eleitoral no Centro da cidade, lotado na Rua Marquês de Sapucaí 29, a apenas 100 metros da Prefeitura, no horário das 12 às 18 horas, de segunda a sexta-feira.

O posto volante da Justiça Eleitoral no Vila da Serra foi obtido pela AMAVISE, que anteviu certa dificuldade para os moradores descerem até o Centro de Nova Lima, para fazer a mudança. A solicitação da Amavise foi atendida e a  Prefeitura cedeu um espaço na subsede do bairro Vila da Serra, e um posto da Justiça Eleitoral foi montado para facilitar a vida dos que desejam se tornar, de fato, cidadãos nova-limenses.

O serviço funcionou nos dias 19 a 24 de outubro, com o atendimento entre às 12h30m às 16h30m. De acordo com a chefe do Cartório da 194ª Zona Eleitoral de Nova Lima, Daniela Pena, a meta de atendimento a 500 pessoas será atingida. No entanto, o levantamento será divulgado posteriormente. Segundo dados dos organizadores, desde o início desse ano, mais 700 títulos já foram transferidos para a 194ª Zona Eleitoral.

Força do voto

O diretor da AMAVISE, Sérgio Americano Mendes afirma que o objetivo dessa ação é trazer representatividade da região tanto para dentro da Câmara quanto na Prefeitura: “O que queremos é conseguir, através do voto, maior representatividade na Câmara de Vereadores e até junto ao Executivo. Atualmente são dez vereadores na Câmara, e nenhum deles tem ligação com essa parte da população”.

Sérgio Mendes ressalta que a questão é também de cidadania: “Não basta exigirmos melhorias para a região e para a cidade que escolhemos para viver e criar nossos filhos, se não participamos ativamente da política local. E não adianta torcermos ou interferirmos na política de Belo Horizonte se moramos em Nova Lima. Precisamos ter representatividade na cidade que moramos, naquela que escolhemos para viver. Somente assim nossas reivindicações serão atendidas”, ressaltou.

Os moradores dos bairros Vila da Serra e Vale do Sereno, que estão no limite de Nova Lima com Belo Horizonte, além de uma maior participação nas decisões nos caminhos a ser seguido pelo município exigem mais qualidade nos serviços públicos. “Não basta pagarmos os impostos, queremos o retorno destes impostos e também participar das decisões da vida da cidade. Dos cerca de 90 mil habitantes de Nova Lima, 30 mil moram nos bairros Vila da Serra e Vale do Sereno e nos condomínios. Desses, 15 mil são eleitores, mas apenas 4.000 votam na cidade”, contabilizou Sérgio Americano Mendes.

O diretor da AMAVISE aponta como os maiores problemas que afetam os moradores dos bairros e dos condomínios estão relacionados à coleta de lixo, trânsito, reparo de vias e fiscalização urbana, com construções ocupando calçadas e até mesmo a falta delas.

O Vila da Serra, Vale do Sereno e os condomínios concentram a população com maior poder aquisitivo de Nova Lima. O setor de comércio e serviços da região também é desenvolvido e voltado para esse público. O rumor de que um dos vereadores teria cogitado aumentar o IPTU em até 1.000% acelerou o processo de transferência de títulos.

Cartório abrirá no centro, no domingo, dia 8 de novembro

A Chefe do Cartório da 194ª Zona Eleitoral de Nova Lima, Daniela Lopes Pena, informou que mesmo com a demanda expressiva de moradores que querem transferir o título de eleitor para o domicílio atual, não haverá prorrogação no prazo de atendimento ao público na unidade da prefeitura, no Vila da Serra. Segundo Daniela, o cartório não possui estrutura de informatização para atendimento da demanda e isso vem acarretando outros problemas, além de atrasar os serviços habituais do cartório em Nova Lima. Mas, que no próximo dia 8 de novembro, um domingo, o Cartório Eleitoral de Nova Lima abrirá para esse tipo de atendimento das 13 às 18 horas, “favorecendo os moradores que precisam estacionar no centro da cidade”.

Ainda segundo a chefe do Cartório, se houver necessidade o organismo disponibilizará uma outra data, em um domingo, para atendimento. E que a prorrogação no calendário de atendimento no Vila da Serra apenas se dará diante de uma determinação da juíza Adriana Garcia Rabelo. Mas, que até o momento, isso não é cogitado.

A transferência do título atingiu resultados surpreendentes depois da campanha realizada pela AMAVISE nos jornais e nas redes sociais. Somente no primeiro e segundo dias, a campanha mobilizou 250 pessoas na unidade montada no Vila da Serra, com a transferência imediata de mais de 150 documentos. A expressiva presença de moradores exigiu que além dos três atendentes do Cartório, a Prefeitura também remanejasse dois funcionários para otimizar os serviços de atendimento à população.

A expectativa do Cartório é transferir 500 documentos para a realização do novo plantão. Mas, pela demanda dos moradores esse número poderá ser ultrapassado e em muito até o final do plantão, no fechamento dessa edição. O grande dificultador, segundo os moradores, é a fila de espera que muitas vezes levava o vigia a fechar a porta do cartório, com cerca oito a 10 moradores em seu interior e outros 15 do lado de fora sem poder entrar. Na unidade do cartório eleitoral instalada no Vila da Serra para atendimento foram distribuídas 80 senhas por dia. 

Jornal Belvedere

Artigos assinados são de inteira responsabilidade do autor. Não expressando, portanto, a opinião da redação do Jornal Belvedere.

Folhear Última Edição

261

 

Anuncie Aqui2016 05