25 Sep, 2017 Última atualização em 4:59 PM, Sep 12, 2017

“Outubro Rosa” chama atenção das mulheres

Publicado em Comportamento
Lido 586 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Campanha de conscientização sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama toma conta do Estado.

O Outubro Rosa é uma campanha de conscientização promovida por diversas entidades dirigida às mulheres e à sociedade como um todo sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama.

Realizado no Brasil desde 2002, o evento ganha a cada ano mais importância. E não poderia ser diferente, uma vez que o câncer de mama é o segundo tipo mais frequente no mundo. Sendo o mais comum entre as mulheres e respondendo por 22% dos casos novos a cada ano, estimados em 57.120 para 2014.

Além disso, no Brasil, as taxas de mortalidade por câncer de mama continuam elevadas, muito provavelmente porque a doença ainda é diagnosticada em estádios avançados. Mas se descoberta em estágio inicial a doença tem cura. Por isso, a prevenção é tão importante!

Em Minas

A Praça e o Palácio da Liberdade, o Pirulito da Praça Sete e a Praça da Estação. Estes são alguns dos cartões postais mais famosos de BH que já foram iluminados para a Campanha Outubro Rosa. A iniciativa acontece em todo o Estado, iluminando prédios públicos, privados, espaços significativos e monumentos para chamar a atenção da população sobre a importância do diagnóstico precoce e da prevenção do câncer de mama.

Neste ano, além do Palácio da Liberdade, a Cidade Administrativa será iluminada de rosa. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SES), a rodoviária de Belo Horizonte receberá duas ações da campanha, de 9h às 17h.

 

Casa Rosal vai mobilizar Nova Lima

Conscientizar e sensibilizar à população sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama: esse é o objetivo do Outubro Rosa, conjunto de ações realizadas pela Casa Rosal com o apoio da Prefeitura de Nova Lima, entre os dias 01 e 15 de outubro.
As ações propostas vão desde a iluminação e/ou decoração de monumentos públicos e pontos turísticos da cidade, até uma edição especial da já tradicional, “Sexta na Feira”; passando pela campanha de prevenção, seminário e caminhada.

 

Oncomed: suporte especial para pacientes

A Oncomed BH, clínica especializada na prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer, referência em Minas, adere à causa do Outubro Rosa e participa com iniciativas de valorização e conscientização da sociedade. Durante todo o mês, terá sua fachada iluminada por refletores com a cor rosa, chamando a atenção para a campanha.

Paralelo a isso, realizará várias ações internas: os médicos vão receber um broche com lacinho rosa e as colaboradoras um lenço rosa que deverão ser usados todo o mês; mensagens com informações sobre o câncer de mama estarão disponíveis em toda clínica e também para os pacientes; serão promovidos encontros e bate-papo com profissionais das áreas de nutrologia, cuidados pessoais, automaquiagem, perucas, amarração de lenços e turbantes, incentivando a prevenção; serão realizadas apresentações de ballet clássico nos andares de medicação, além de intervenções da Trupe da Alegria (grupo de colaboradores da Oncomed BH que se dedicam a animar as sessões de medicação dos pacientes da clínica), que vão reforçar a importância da campanha.  Por fim, ainda está previsto um Workshop de Consultoria de imagem e Alimentação saudável, aberto para pacientes em tratamento.

Vale ressaltar que a clínica também é parceira da 1ª Caminhada Outubro Rosa – Toque de Amor, que acontece do dia 26 de outubro, em Belo Horizonte, com o objetivo de conscientizar as pessoas da importância de se prevenir contra o câncer de mama.

 

Oncologista ressalta os fatores que cercam a doença

LeandroRamos02Com o objetivo de propagar informações corretas sobre o câncer de mama, o JORNAL BELVEDERE & Condomínios de Nova Lima entrevista o médico oncologista da Oncomed BH, Dr. Leandro Ramos (foto), que falou sobre a doença. Confira:

Quais as causas conhecidas do câncer de mama?
Dr. Leandro Ramos: Todo câncer se caracteriza por um crescimento rápido e desordenado de células, que após sofrerem uma transformação maligna, adquirem a capacidade de se multiplicar indefinidamente e de invadir tecidos vizinhos. O câncer de mama não tem uma causa única. Seu desenvolvimento deve ser compreendido em função de uma série de fatores de risco, que podem ser externos ou internos ao organismo, e que interagem de várias formas, aumentando a probabilidade de transformações malignas nas células normais.

Quais são os fatores de risco?
A idade é o fator de risco mais importante para o câncer de mama entre as mulheres, e sua incidência cresce progressivamente com o envelhecimento.

Outros fatores são: história familiar positiva; História pessoal de câncer de mama; Radioterapia prévia em região do tórax, especialmente se antes dos 30 anos; história menstrual: mulheres que tiveram sua primeira menstruação antes dos 12 anos e ou entraram menopausa após os 55 anos têm um risco aumentado de desenvolver câncer de mama, pela maior exposição aos hormônios femininos.

Outros fatores como história reprodutiva: mulheres que não tiveram filhos ou tiveram o primeiro filho após os 30 anos, e a ainda as que não amamentaram, também têm um maior risco desta doença; uso de reposição hormonal (principalmente com estrogênio e progesterona associados);  Obesidade; Ingestão regular (mesmo que moderada) de álcool; presença de mutação genética (incluindo BRCA1, BRCA2 , entre outros): embora apenas 5 a 10% de todos os cânceres de mama sejam causados por estas mutações, sabe-se que a mulher que as possui tem risco muito aumentado de desenvolver esta neoplasia.

Quais são as chances de cura?
As chances de cura dependem do estágio em que a doença foi diagnosticada, do tipo de tumor e também da idade e condições de saúde da paciente. Por exemplo, entre pacientes com bom estado de saúde, após diagnostico de câncer de mama estágio I (ou seja, inicial), submetidas ao tratamento recomendado, cerca de 95% estarão vivas e livres da doença após 5 anos.

Quais as formas de prevenção?
Como vimos anteriormente, muitos dos fatores de risco para câncer de mama não são modificáveis. Não temos como parar de envelhecer, mudar a história familiar ou interferir idade da primeira menstruação de uma mulher. Entretanto, evitar a obesidade, através de dieta equilibrada e prática regular de exercícios físicos e não ingerir bebidas alcoólicas, são recomendações importantes na prevenção primária desta doença. Por outro lado, a prevenção secundária, que significa garantir o diagnóstico precoce da doença, aumentando assim as taxas de cura, tem enorme valor no controle do câncer de mama.Com este objetivo, a Sociedade Brasileira de Mastologia recomenda que todas as mulheres realizem a mamografia anualmente a partir dos 40 anos.

Quais os tratamentos disponíveis hoje em dia?
Cirurgia, radioterapia, quimioterapia, hormonioterapia e anticorpos monoclonais estão entre os tratamentos disponíveis para o câncer de mama, e podem ser usados isoladamente ou em combinação de acordo com indicação médica para cada caso.

Quais os principais mitos que envolvem a doença?
Cessar o consumo de leite de origem animal cura a doença; o uso de desodorantes pode aumentar o risco de câncer de mama; quem não tem histórico familiar não desenvolverá a doença; próteses de silicone podem causar neoplasia maligna das mamas, entre outros.

E o que de fato é verdade quando se fala na doença?
São várias. Destacaria: A falta de vitamina D pode aumentar as chances de surgimento do câncer; Emoções negativas, como estresse, mágoas e raiva, estão associadas ao câncer de mama; Histórico familiar é um importante fator de risco. Se o parentesco for de primeiro grau (mãe ou irmã), a atenção deve ser redobrada; Câncer de mama está associado à idade: quanto maior a idade, maior a chance de incidência; Ter a primeira menstruação precocemente ou a menopausa tardia (após os 50 anos) aumenta o risco de desenvolvimento da doença; Gestações tardias (após os 30 anos) e a nuliparidade (não ter tido filhos) também ampliam os riscos e a ingestão regular de álcool, mesmo em quantidades moderadas, e o tabagismo podem elevar a chance de desenvolvimento do câncer de mama.

Última modificação em Segunda, 13 Outubro 2014 13:38
Jornal Belvedere

Artigos assinados são de inteira responsabilidade do autor. Não expressando, portanto, a opinião da redação do Jornal Belvedere.

Folhear Última Edição

267

 

Anuncie Aqui2016 05