30 Apr, 2017 Última atualização em 2:22 PM, Apr 27, 2017

“Novembro Azul” quer a atenção dos homens

Publicado em Comportamento
Lido 388 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Sociedade Brasileira de Urologia desenvolve campanha de conscientização sobre o câncer de próstata. A doença é mais incidente que o câncer de mama, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca).

A exemplo da Campanha “Outubro Rosa”, a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) tem desenvolvido nos últimos anos a campanha de conscientização sobre o câncer de próstata “Novembro Azul”, com ações de orientação da população sobre a doença e é direcionada especialmente aos homens. O movimento “Novembro Azul” é realizado em parceria pela SBU e o Instituto Lado a Lado com o objetivo de orientar a população masculina sobre a importância do exame de toque retal e PSA para diagnóstico precoce do câncer de próstata.

O câncer de próstata é mais incidente que o câncer de mama, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), que em sua estimativa 2012/2013 apontou 60.180 novos casos de câncer de próstata e 52.680 de mama. Pesquisa realizada pelo Datafolha para a SBU, em 2009, constatou que o preconceito com o exame de toque retal ainda é forte no Brasil. Apenas 32% dos homens brasileiros declararam já ter feito o exame.

De acordo com o presidente da SBU, Aguinaldo Nardi, cerca de 30% dos pacientes do SUS são diagnosticados com câncer de próstata já avançado. Se forem descobertos no início, 90% dos casos são curáveis. “Um a cada seis homens terá câncer de próstata e 1 a cada 36 morrerá da doença”, afirma Nardi. De acordo com ele, falta uma porta de entrada para o paciente masculino.

Por isso, a SBU vai entregar uma lista de sugestões aos parlamentares, entre elas está a criação de Centros de Referência em Saúde do Homem, para melhorar seu acesso ao SUS. Hoje, Centros de Referência da Mulher recebem as pacientes encaminhadas pelo programa de saúde da família, o que agiliza seu atendimento. Já o homem, se tiver suspeita de alguma doença, é encaminhado aos ambulatórios de especialidades e aguardará, talvez, meses para ter uma primeira consulta.

Além da iluminação de pontos turísticos em diversas capitais brasileiras, acompanhe o Facebook da SBU (www.fb.com/SociedadeBrasileiraUrologia) para receber notas de esclarecimento sobre a doença. As ações da campanha ainda englobam a distribuição de panfletos em estádios de futebol durante o campeonato brasileiro.

A doença

O câncer de próstata é a neoplasia maligna mais comum entre os homens. Tem números superiores ao câncer de mama, o de maior incidência feminino. A detecção precoce é fundamental para seu tratamento, visto que nessa fase, 90% são curáveis. Em sua fase inicial não há sintomas, por isso, a ida anual ao urologista é essencial para o acompanhamento da glândula. Este ano, 2013, a Sociedade Brasileira de Urologia inicia uma nova recomendação, baseada nos trabalhos científicos publicados nos últimos anos: o exame de toque retal deve ser feito a partir dos 50 anos para homens sem casos na família e aos 45 anos para homens com casos na família e negros.

 

Alerta masculino

Por Daniel Xavier Lima *

O mês de novembro tem sido um período de alerta para o câncer de próstata em todo o mundo, havendo campanhas de conscientização apoiadas e propagadas por instituições médicas, marcas de produtos esportivos e até cervejarias. A cor escolhida para a fita de alerta contra o câncer de próstata é o azul claro, assim como o branco refere-se ao câncer de pulmão, o amarelo ao osteossarcoma (tumor maligno nos ossos), o rosa ao câncer de mama, dentre outros.

O câncer de próstata é a segunda causa mais frequente de mortes em homens no Brasil. Em todo o mundo é o sexto mais comum, correspondendo a 10% de todos os tumores malignos. A próstata é uma glândula presente apenas nos homens, localizada à frente do reto e logo abaixo da bexiga. Sua função está relacionada com a fertilidade masculina, pois produz uma substância que compõe o sêmen. A doença que mais afeta a próstata não é o câncer, mas sim, a hiperplasia, que é o seu crescimento exagerado com consequências relativas à micção. O paciente com hiperplasia prostática pode manifestar dificuldade para urinar ou micções muito frequentes e essas manifestações são vistas principalmente a partir dos 50 anos de idade. Coincidentemente, essa também é a idade na qual o câncer da próstata comumente é diagnosticado.

Ao contrário da hiperplasia, o câncer não causa sintoma algum na fase inicial. Para que o diagnóstico seja suspeitado nessa fase ainda curável da doença, é fundamental que seja feita a avaliação urológica anual, com a dosagem do exame PSA no sangue e a realização do exame da próstata pelo toque retal. Nos casos em que o urologista detecta alterações significativas em algum desses exames, a biopsia prostática pode então confirmar ou não a presença do tumor. O conceito equivocado de que o rastreamento do câncer de próstata deve ser feito apenas nos pacientes com sintomas é um dos principais focos da campanha Novembro Azul. Quando os sintomas são devidos ao câncer, possivelmente esse homem já apresenta doença avançada, com remotas possibilidades de cura.

Existem casos em que o câncer de próstata se desenvolve muito lentamente, podendo levar muitos anos para poder causar algum dano ao indivíduo. Por outro lado, alguns tumores têm um comportamento mais agressivo e podem levar à morte se não tratados. O urologista deve avaliar o caso à procura de sinais de agressividade do tumor e discutir abertamente com o paciente as opções de tratamento, que podem inclusive incluir um acompanhamento temporário da doença. O tratamento evoluiu de forma significativa nos últimos anos, com menor agressividade do tratamento cirúrgico e da radioterapia, que são as alternativas de tratamento curativo. Os possíveis efeitos colaterais, que são principalmente a impotência sexual e a incontinência urinária, são menos frequentes do que no passado e são passíveis de tratamento, quando necessário. O que não se pode ignorar é que o rastreamento do câncer de próstata levou à redução de 40% na mortalidade desse tumor em todo o mundo nos últimos anos, além de ter evitado muito sofrimento. Assim, o que se espera da campanha Novembro Azul é uma conscientização ainda maior e que os homens contem cada vez mais com seus urologistas para gerar saúde e qualidade de vida.

Mestre e doutor em Cirurgia pela UFMG e médico Urologista do Biocor Instituto

 

Oncomed BH: previna-se contra o câncer de próstata

Depois de inúmeras ações para comemorar o Outubro Rosa, que chamou a atenção de mulheres para a prevenção do câncer de mama, o foco agora são os homens! No mês de novembro, todo o mundo se une em prol da Campanha Novembro Azul, cujo objetivo é alertar a classe masculina sobre a importância do exame para detectar o câncer de próstata – glândula do sistema reprodutor que armazena os líquidos.

A Oncomed BH, clínica especializada na prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer, referência no Estado de Minas, adere à causa do Novembro Azul e participa de forma ativa com ações de valorização e conscientização dos homens. Durante todo o mês, a fachada da clínica será iluminada por refletores com a cor azul, chamando a atenção de todos para a campanha.

Além disso, vão fazer adesivos e distribuir bottons, no formato de bigode e na cor azul (que remete à origem da campanha) para todos os pacientes, médicos e colaboradores. Folhetos informativos serão distribuídos lembrando a importância da prevenção. Também farão uma apresentação da Trupe da Alegria, grupo de colaboradores da Oncomed BH que se dedicam a animar as sessões de medicação dos pacientes da clínica, com números artísticos, como contadores de histórias, shows musicais e brincadeiras.

Última modificação em Segunda, 10 Novembro 2014 14:28
Jornal Belvedere

Artigos assinados são de inteira responsabilidade do autor. Não expressando, portanto, a opinião da redação do Jornal Belvedere.

Folhear Última Edição

258

 

Anuncie Aqui2016 05