23 Nov, 2017 Última atualização em 1:26 PM, Nov 13, 2017

Laboratório Inteligência de Vida

Publicado em Educação
Lido 162 vezes
Avalie este item
(0 votos)
Tagged sob

Daniele Passagli

O Coleguium possui um programa que estimula o desenvolvimento de habilidades socioemocionais e conta com atividades especializadas, livros e até produções audiovisuais próprias.

O Laboratório Inteligência de Vida (LIV) surgiu da necessidade de ensinar os alunos a lidar com emoções, interagir com pessoas diferentes, trabalhar em equipe, ter iniciativa, entre outras características fundamentais não aprendidas em aulas convencionais.
O objetivo é desenvolver as habilidades socioemocionais nos alunos - agora contempladas pela Base Nacional Curricular -, e prepará-los para um futuro, no qual apenas o conhecimento acadêmico não basta para alçar voos mais altos.
Ao longo do programa, o aluno tem contato com conceitos e atividades que estimulam a proatividade, perseverança, pensamento crítico, comunicação, criatividade e colaboração. As aulas desenvolvem também a empatia e curiosidade de cada criança.
Por meio de livros, atividades e até séries audiovisuais de produção própria, o Laboratório direciona os estudantes para um futuro de ideias fartas e respeito ao próximo.

EXEMPLOS PRÁTICOS
Alfabetização emocional

Nos três primeiros anos do Ensino Fundamental, os alunos entram em contato com o mundo das emoções e sentimentos. O que é raiva? E tristeza? O que fazer quando me sinto assim? Como o meu corpo reage na presença dessas emoções?
Autoconhecimento, autocontrole e relacionamento, competências imprescindíveis para crianças nessa idade, serão trabalhadas de forma lúdica e engajadora.

O objetivo, portanto, é criar um espaço que permita aos alunos falarem sobre as suas emoções - e entender que o caminho não é evitá-las, mas saber lidar com elas.

Inteligência de Vida

Como o LIV consegue aflorar cada uma das seis habilidades supracitadas? Por meio de hábitos: três para cada habilidade, em um total de 18 ao longo de todo o currículo.

A Perseverança, por exemplo, é ensinada a partir dos hábitos da Linha de Chegada (compreender os objetivos que quer alcançar); do Construtor (planejamento e autocontrole); e do Otimista (encarar frustrações como oportunidade e acertos como motivação).

Durante o programa no Ensino Fundamental, o professor sugere que a turma realize uma atividade com histórias de superação.

Por fim, o professor explica que as discussões acerca de superação são permeadas pelo hábito do otimista: superar-se é enxergar os momentos de frustração como oportunidades de ir além. O aluno consegue perceber não só os obstáculos que teve de enfrentar, mas também a forma pela qual teve que adaptar atitudes e planejamento. Isso torna-se foco motivador para novas histórias.

Diretora Pedagógica do Coleguium Rede de Ensino

Coleguium • Rede de Ensino
 (31) 3490 - 5000 • www.coleguium.com.br

 

Jornal Belvedere

Artigos assinados são de inteira responsabilidade do autor. Não expressando, portanto, a opinião da redação do Jornal Belvedere.

Folhear Última Edição

271

 

Anuncie Aqui2016 05