25 Sep, 2017 Última atualização em 4:59 PM, Sep 12, 2017

Baixa umidade do ar exige cuidados com a saúde

Publicado em Saúde & Bem-estar
Lido 164 vezes
Avalie este item
(0 votos)
Tagged sob

O período de outono/inverno é conhecido por potencializar várias doenças típicas da época, como gripes e alergias. Porém, outro fator vem preocupando as entidades de saúde: a falta de umidade.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), um nível considerado aceitável deve estar acima dos 30%. A baixa umidade também é causa de desconforto, mas algumas atitudes podem ajudar a diminuir os problemas causados pela falta de chuva. Segundo o Ministério da Saúde, a baixa umidade requer cuidados, principalmente com as pessoas que já têm ou tiveram sintomas de doenças do aparelho respiratório.

Em Belo Horizonte e cidades da Região Metropolitana, moradores devem ficar atentos para a baixa umidade do ar. A Coordenadoria de Defesa Civil Municipal de BH emitiu um alerta, no dia 4 de abril, para a condição que deve seguir pelos próximos dois dias na Capital. Segundo o órgão, os índices estão na casa dos 30%, o que já é considerado estado de atenção pela OMS. Para evitar o aparecimento de sintomas provocados pelo tempo seco e que problemas respiratórios se agravem, é essencial seguir algumas recomendações.

As crianças e os idosos são os mais afetados pela baixa umidade do ar, mas a OMS aconselha que todos adotem as dicas para minimizar os efeitos do tempo seco. Isso porque, em alguns casos, a condição pode intensificar problemas respiratórios e alergias, além de provocar dores de cabeça, sangramento pelo nariz, irritação dos olhos, tosse e falta de ar.

De acordo com o meteorologista Dayan Diniz de Carvalho, a sensação de tempo seco pode ser percebida em BH desde o início da semana. Ele explica que o período de transição entre o verão e o outono é marcado por uma série de variáveis e que a nova estação ainda pode ter características da anterior. “O período de transição é bem variável e a gente pode ter duas estações do ano em apenas um dia”, conta. “O alerta vai até o fim da tarde da próxima quinta-feira quando uma mudança climática deve ocorrer em várias regiões de Minas”, continua.

O especialista conta que a umidade do ar pode voltar aos níveis considerados seguros devido à aproximação de uma frente fria. “A frente fria aumenta a nebulosidade e pode fazer chover, o que influência diretamente a umidade do ar”, diz. “A possibilidade de chover é pequena, mas os registros apontam chances de termos chuva ainda na quinta e na sexta-feira”, completa.

Carvalho recomenda que, para evitar o desconforto e o aparecimento de sintomas provocados pelo tempo seco, o ideal é que as pessoas se hidratem bastante e usem protetor solar, principalmente aquelas que tendem a ficar mais expostas ao sol. A prática de atividades físicas ao ar livre, entre 13h e 16h, também não é recomendada.

Veja abaixo outra medidas que podem ajudar a minimizar os impactos do tempo seco:

• Beber muita água por dia, água de coco e sucos naturais;
• Preferir alimentos leves e frescos, como saladas, frutas, carnes grelhadas;
• Evitar frituras;
• Dormir em local arejado e umedecido por aparelhos umidificadores ou uma bacia com água;
• Evitar atividades físicas ao ar livre e exposição ao sol entre as 10 e 17 horas;
• Evitar banhos com água muito quente, pois ressecam ainda mais a pele;
• Em caso de problemas respiratórios procurar um especialista.

Jornal Belvedere

Artigos assinados são de inteira responsabilidade do autor. Não expressando, portanto, a opinião da redação do Jornal Belvedere.

Folhear Última Edição

267

 

Anuncie Aqui2016 05