21 Oct, 2017 Última atualização em 6:38 PM, Oct 9, 2017

Transitar a pé pela Via Stael Bicalho é um perigo diário

DIFICULDADE |Diariamente, trabalhadores e moradores enfrentam um trecho de piso irregular e perigoso DIFICULDADE |Diariamente, trabalhadores e moradores enfrentam um trecho de piso irregular e perigoso
Publicado em Infraestrutura
Lido 255 vezes
Avalie este item
(1 Voto)

Trabalhadores, prestadores de serviços e moradores que transitam do Vila da Serra em direção ao Belvedere, ou no sentido inverso, enfrentam uma verdadeira aventura para atravessar um trecho de poucos mais de 800 metros, por falta de calçada e tomado de entulhos.

Transitar a pé pela Via Stael Bicalho, também conhecida como Estrada para Nova Lima, tem se tornado uma aventura diária. Trabalhadores, prestadores de serviços e moradores que saem do Vila da Serra em direção ao Belvedere, alguns para acesso as pontos de ônibus no BH Shopping, deparam diariamente com inúmeros obstáculos. O primeiro deles, a inexistência de calçada no trecho abaixo do antigo pontilhão da linha férrea. Mais adiante, seguindo no próprio asfalto da via o pedestre se depara com o cruzamento da Alça da MG-030 com a própria Via Stael Bicalho, onde veículos se aproximam em alta velocidade e não respeitam a preferência de ninguém. Em mais alguns metros de caminhada, o pedestre precisa continuar andando na pista de rolamento porque montanhas enormes de bota-fora clandestino tomaram conta do que se poderia chamar de calçada.

No sentido inverso, a situação não é tão diferente. Logo que sai da baia de ônibus, o pedestre segue um pequeno trecho de concreto para em seguida continuar o percurso na terra. Quando é seca, a poeira toma conta e muitos preferem se arriscar junto à circulação de carros. Em dias de chuva, a lama vermelha impede a passagem e aí fica praticamente impossível fazer o percurso senão junto aos veículos. Um trecho de pouco mais de 800 metros, mas que tem se tornado um território sem dono.

Fred Costa volta a se reunir com PBH em busca de solução

A situação é conhecida de todos na região e a luta para a revitalização da calçada e melhoria no entroncamento da Alcinha com a Via Stael vem se arrastando há muitos anos, sendo inclusive debatida em Audiência Pública na Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais (ALMG), promovida pelo deputado Fred Costa (PEN), que sempre é procurado para buscar das autoridades uma solução para o problema. A solução, inclusive, já foi pleiteada junto ao Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), uma vez que o Departamento de Edificações Estradas e Rodagens de Minas Gerais (DEER-MG) entende que o trecho não está sob sua jurisprudência e o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) também afirmar que não está dentro de sua área de domínio.

Realização de obras

Diante desse impasse, o deputado Fred Costa decidiu levar o assunto à Secretaria de Administração Municipal Centro-Sul de Belo Horizonte, para análise e verificação de realização de obras no local, para acessibilidade de pedestres. Na ocasião, a coordenadora da Regional Centro-Sul, Patrícia Furtado Lage, informou que vai recomendar a retirada imediata dos entulhos no entorno da via e, ainda, que vai apresentar o problema à Secretaria de Obras para realização de um projeto de revitalização naquela área.

O deputado Fred Costa, que esteve acompanhado de duas dirigentes da UNIVIVA – Lilian Viana e Adriana Burato -, ressaltou que a construção do passeio é um obra importante para a região, pois a maioria dos trabalhadores do Vila da Serra perfazem o caminho diariamente pois utilizam as baias instaladas no BH Shopping para acesso aos coletivos. E que a travessia é totalmente insegura e incômoda, já que o piso de terra é totalmente irregular e cheio de obstáculos. Fred Costa lembrou que com as chuvas a situação tende a piorar, pois a lama costuma ser levada junto com a enxurrada para uma grande parte da via.

A coordenadora Patrícia Furtado Lage prometeu enviar, em breve, uma solução para o assunto, o que está sendo aguardado pela população. Ela informou que a PBH está realizando um trabalho de verificação de áreas tomadas por bota-fora para que estes locais sejam limpos. E que as pessoas podem denunciar o depósito clandestino desses materiais para que os autores sejam autuados.

Ela também se solidarizou com a questão da falta de segurança no entroncamento da Alcinha com a Via Stael, afirmando que a prefeitura precisa se posicionar junto aos órgãos para uma solução de trânsito e impedir que um acidente grave ocorra naquele local.  

Jornal Belvedere

Artigos assinados são de inteira responsabilidade do autor. Não expressando, portanto, a opinião da redação do Jornal Belvedere.

Folhear Última Edição

269

 

Anuncie Aqui2016 05