21 Oct, 2017 Última atualização em 6:38 PM, Oct 9, 2017

Alunos do Santo Agostinho pedem por mais segurança

ATUAÇÃO | Diretores da UNIVIVA e o deputado Fred Costa com os estudantes na visita ao DEER para reivindicar mais segurança na rodovia MG-030 ATUAÇÃO | Diretores da UNIVIVA e o deputado Fred Costa com os estudantes na visita ao DEER para reivindicar mais segurança na rodovia MG-030
Publicado em Segurança
Lido 350 vezes
Avalie este item
(0 votos)
Tagged sob

Estudantes da Unidade de Nova Lima realizam abaixo assinado solicitando a proibição do tráfego de caminhões de minério na rodovia. Também colocaram uma faixa com os dizeres “Não queremos carretas na MG-030. Queremos preservar nossas vidas!”, que foi erguida na passarela sobre a via em frente ao colégio.

As comemorações da Semana Nacional do Trânsito foi uma proposição da UNIVIVA, em mais uma tentativa de chamar a atenção sobre a segurança de moradores, estudantes e demais usuários da MG-030, que hoje recebe um tráfego intenso de carretas de minério. A iniciativa contou com a participação do Colégio Santo Agostinho e com o apoio do deputado Fred Costa (PEN). Para marcar a data, várias ações foram propostas.

Os 2367 estudantes da Educação Infantil ao Ensino Médio do Santo Agostinho Unidade Vale dos Cristais realizaram um abaixo-assinado, que foi entregue durante uma visita ao diretor do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER-MG), Djaniro Silva, solicitando a proibição do tráfego de carretas na rodovia MG-30. Até mesmo os alunos do Infantil fizeram um abaixo-assinado em forma de desenhos. Inseguros com as condições de tráfego na estrada que liga Nova Lima a Belo Horizonte, os alunos do 5º ano do turno da tarde elaboraram um texto que foi entregue junto com o abaixo assinado ao diretor geral do DEER-MG.

Além disso, uma faixa com os dizeres “Não queremos carretas na MG-030. Queremos preservar nossas vidas!”, que foi elaborada pelos alunos do 9º ano, e erguida na passarela localizada em frente ao colégio na quarta-feira, dia 20, como forma de protesto.

Segundo a diretora do colégio Lorena Macedo, a Semana Nacional é um momento dos estudantes refletirem sobre a importância de respeitar as regras de trânsito e uma oportunidade de cobrar medidas que garantam mais segurança ao tráfego de veículos e pedestres na MG-030, próximo à escola. “Quando o assunto é segurança, somos incansáveis. A rodovia tem um traçado sinuoso, com descidas e subidas, e o movimento de carretas potencializa os riscos de acidentes. Essa é uma luta antiga. Em 2015, fizemos um abaixo - assinado alertando para o desligamento dos radares, que era frequente, e também para o perigo das carretas carregadas de minério. No ano passado, a justiça determinou a suspensão do transporte de minério de ferro feito pelas empresas de mineração do entorno, mas elas descumprem a lei”, explica Lorena.

Colégio prepara outras ações

O tema escolhido para a campanha deste ano “Minha escolha faz a diferença no trânsito”, visa conscientizar o cidadão sobre a sua responsabilidade no trânsito, valorizando ações do cotidiano e a participação de todos para alcançar a segurança viária. Por isso, o colégio preparou uma série de atividades com os alunos, de 18 a 22 de setembro.
Os alunos do 4º e 5º ano fizeram uma corrente com elos de papel, com dizeres de valorização a vida e respeito ao trânsito, que ficou exposta na entrada do colégio. O 4º ano do turno da manhã fez placas de trânsito, como se fossem para-choques de caminhão, com dizeres sobre segurança no trânsito. Eles também percorreram o colégio no horário de entrada e saída para chamar a atenção dos pais e outros alunos. O 4º ano do turno da tarde por sua vez, preparou panfletos sobre o trânsito seguro que foi distribuído ao longo da semana.
E, na semana anterior, durante os “Jogos da Amizade”, os alunos ergueram uma faixa com os dizeres “Queremos ser amigos para sempre. Não permitam carretas de minério na MG 30”, dando início aos atos que foram realizados durante a Semana Nacional do Trânsito.
As ações realizadas pela UNIVIVA para garantir o cumprimento do TAC celebrado pelo Ministério Público com as mineradoras vão continuar. Na próxima semana será agendada uma reunião com a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SEMAD). Além disso, outros órgãos públicos também serão procurados pelos dirigentes da entidade.

Solidariedade das salas de aula comove comerciantes e moradores do Alphaville

Alunos da Maple Bear Canadian School e do SEB, ambas escolas do Alphaville Lagoa dos Ingleses, deixaram mensagens de apoio e incentivo em tapume que circunda locais mais atingidos pela explosão ocorrida na região

Solidariedade, amizade e compaixão não se aprendem só “em casa”. São valores que estão sendo ensinados nas carteiras escolares da Maple Bear Canadian School e do SEB, duas escolas do Alphaville Lagoa dos Ingleses. Há pouco mais de duas semanas, comerciantes e moradores da região foram surpreendidos por uma explosão de grandes proporções em um dos centros comerciais situados no local. Dois restaurantes foram os mais atingidos, e estão interditados sem previsão de volta das atividades. Hoje, o tapume que circunda os estabelecimentos se transformou em uma espécie de painel de incentivo e solidariedade com mensagens dos alunos.

“A ideia surgiu da coordenação pedagógica da Maple Bear em parceria com a coordenação do SEB para envolver os alunos em um projeto de valores, que trabalhasse a solidariedade com os comerciantes atingidos. Muitos dos nossos alunos são moradores do Alphaville e frequentadores dos estabelecimentos.”, comenta a coordenadora Thays Silveira, coordenadora da Maple Bear Alphaville Lagoa dos Ingleses.

A onda de solidariedade tomou conta de todo o Alphaville. Já houve uma feijoada beneficente que irá reverter o valor arrecadado para a reconstrução dos restaurantes e, além disso, o Lions Clube Nova Lima Lagoa dos Ingleses está provendo uma ação entre amigos da pizzaria Anthony’s – estabelecimento mais atingido – que consiste em uma rifa, no valor de 80 reais. O prêmio é um Fusca 66 (placa preta) em perfeito estado de conservação. Todo esse apoio é para que os empresários que tiveram suas vidas reviradas e rendas (muitos deles como única renda da família) interrompidas possam se fortalecer para enfrentar os desafios que virão.

Jornal Belvedere

Artigos assinados são de inteira responsabilidade do autor. Não expressando, portanto, a opinião da redação do Jornal Belvedere.

Folhear Última Edição

269

 

Anuncie Aqui2016 05