28 Apr, 2017 Última atualização em 2:22 PM, Apr 27, 2017

CARRETAS DE MINÉRIO NA MG-030 • Abaixo-assinado para fazer cumprir ordem judicial

MAIS UM ACIDENTE  | No dia 29 de dezembro, acidente envolvendo um carro de passeio e uma carreta de minério, deixou o trânsito parado na rodovia MAIS UM ACIDENTE | No dia 29 de dezembro, acidente envolvendo um carro de passeio e uma carreta de minério, deixou o trânsito parado na rodovia
Publicado em Trânsito
Lido 42 vezes
Avalie este item
(0 votos)
Tagged sob

Os “Vigilantes da MG-030”, grupo de moradores do entorno da rodovia, traça estratégias para continuar a luta para impedir tráfego de caminhões na rodovia. Movimento colhe assinaturas em um abaixo-assinado para entrar com novas ações na Justiça. Enquanto isso, os acidentes continuam acontecendo.

Os “Vigilantes da MG-030’, grupo de moradores do entorno da rodovia, reuniram-se novamente para definir outras ações estratégicas visando impedir o trânsito de carretas de minério na via. Como são estratégicas, algumas ações ainda não puderam ser divulgadas, e também porque dependem do fim do recesso do judiciário e da Promotoria Pública de Minas. No entanto, o grupo decidiu que durante esse mês de janeiro será realizada uma campanha para colher assinaturas em um abaixo-assinado. O formulário poderá ser solicitado junto a um dos representantes do grupo ou através do facebook – Vigilantes da MG-030 -, onde uma página foi criada para divulgar e discutir as questões relacionadas à rodovia. A informação é do advogado Walmir Braga, que é morador do Vale dos Cristais. Segundo ele, com as assinaturas em mãos, o grupo irá utilizar cópias em várias representações e ações a serem movidas.

No último dia 29 de dezembro, mais um acidente envolvendo um carro de passeio e uma carreta de minério, deixou o trânsito parado na rodovia. Por sorte, não houve vítimas fatais, mas pelo estrago do veículo o acidente poderia ter resultado em morte. De acordo com a Polícia Militar Rodoviária (PMRv), os dois veículos bateram de frente, no km 19, por volta das 6h30m, horário ainda de pouco movimento na via. A carreta ficou atravessada na pista, interrompendo o tráfego. A motorista do carro teve ferimentos e foi socorrida por uma equipe do Corpo de Bombeiros.

ORDEM NÃO CUMPRIDA

A luta dos moradores para retirar o tráfego de carretas na rodovia vem de longa data. Em acordo assinado e homologado judicialmente, a mineradora responsável deveria garantir que os caminhões cumprissem outro trajeto para escoamento de minério da mina Corumi, localizada atrás da Serra do Curral, de propriedade da Mineração Pau Branco (Empabra). No entanto, mesmo depois do acordo judicial e do Licenciamento Ambiental estabelecendo o trajeto as carretas continuaram a rodar pela MG-030 no trecho não previsto no licenciamento. Foi preciso uma representação ao Ministério Público, e uma Ação Civil Pública deste, para que fosse conseguido no Tribunal de justiça uma liminar, que até hoje não foi cumprida. Parece que a mineradora “trocou” a transportadora para tentar fugir de sua obrigação. “Isto é um escárnio”, apontam os moradores.

Também em dezembro, no dia 17, uma manifestação pacífica contra o tráfego de carretas na via foi organizada pelo grupo dos Vigilantes da MG-030. O objetivo foi o mesmo: alertar sobre a condição atual da estrada e os riscos do tráfego desses caminhões pesados que colocam em jogo a vida de centenas de moradores, exigir que o trajeto definido durante o licenciamento seja cumprido e que a ordem judicial seja cumprida.  Durante o protesto, os manifestantes exigiram a fiscalização do trecho entre Nova Lima e Belo Horizonte, e pediram a punição para motoristas de carretas que descumprirem a determinação judicial que proibiu o trânsito de carretas carregadas de minério da Mina Corumi, da Empabra.

“Desde setembro há ordem judicial, que até hoje não foi cumprida por alegada falta de notificação formal do TJMG, apesar do MP já ter enviado cópia da decisão à Polícia Militar Rodoviária e ao DER. O fato é que estamos sujeitos a uma tragédia anunciada. O acidente do último dia 29 foi só um aviso”, alerta Walmir Braga.

Última modificação em Terça, 10 Janeiro 2017 16:29
Jornal Belvedere

Artigos assinados são de inteira responsabilidade do autor. Não expressando, portanto, a opinião da redação do Jornal Belvedere.

Folhear Última Edição

258

 

Anuncie Aqui2016 05