21 Oct, 2017 Última atualização em 6:38 PM, Oct 9, 2017

A preferência é do pedestre. Nunca é demais lembrar

PERIGO | Sem faixa para travessia, pedestres são obrigados a correrem na frente dos veículos PERIGO | Sem faixa para travessia, pedestres são obrigados a correrem na frente dos veículos
Publicado em Trânsito
Lido 85 vezes
Avalie este item
(0 votos)
Tagged sob

Quem precisa transpor de um lado ao outro da Avenida Luiz Paulo Franco, no Belvedere, precisa contar com a sorte: moradores reclamam da alta velocidade dos veículos e da falta de sinalização para pedestre na via.

Um dos problemas que mais afligem os moradores da região, em especial os do Belvedere, é o trânsito. O bairro, que serve de passagem para outros municípios vizinhos, acaba recebendo o contingente excessivo de veículos. Quando o problema está instalado no Anel Rodoviário, por exemplo como aconteceu no último dia 21 setembro, o reflexo é imediato com formação de imensas filas na BR-356 e a saturação do tráfego nas alças do Trevo do BH Shopping. Do outro lado, a falta de vagas de estacionamento é outro perrengue que incomoda moradores que têm suas ruas lotadas de veículos e pelos trabalhadores no bairro que não encontram local para seus carros.

Mas, um problema que vem se aviltando é o descaso com o pedestre. Quem precisa transpor de um lado ao outro da Avenida Luiz Paulo Franco, por exemplo, antes de mais nada deve-se benzer e contar com a sorte. Em frente ao ponto de ônibus, na altura do número 671, a travessia virou uma loteria. O local não possui um semáforo ou uma lombada e os veículos passam em alta velocidade. Além disso, como o fluxo é intenso e quase intermitente o pedestre fica esperando o trânsito parar totalmente para sair serpenteando entre os carros até ter acesso ao outro lado da via. Pouco mais acima, a situação é pior e o pedestre precisa se equilibrar em cima do canteiro central e contar mais uma vez com a sorte para poder terminar a transposição da avenida.

Falta respeito

“O que acontece aqui é uma total falta de respeito e atenção das autoridades com o pedestre. Imagine você que eu tenho 77 anos e certa dificuldade para caminhar. Quando chego no canteiro central preciso contar com a ajuda de Deus para não sentir nenhuma tonteira, pois se isso acontecer eu serei morto. Porque o fator idade conta muito nessa hora, você perde a coordenação facilmente”, desabafa Pedro Augusto Guimarães Castellar. Segundo ele, a BHTrans não colocou faixas de pedestres e assim não pensou em garantir a segurança das pessoas durante a travessia de rua. “A sinalização de pedestres existe nas ruas de todo o País. Se você vai a Gramado, por exemplo, não encontra nem semáforos. E o motorista automaticamente reduz a velocidade e para o veículo para você passar. Aqui não, você precisa sair acenando para os carros na tentativa que seja visto pelos motoristas e que este se sensibilize com você e te dê a preferência, quando na verdade, pelo Código de Trânsito, ela sempre é do pedestre”, relatou o morador.

A situação observada pelo senhor Pedro Guimarães pode ser averiguada a qualquer momento por quem precisa atravessar a avenida. Além de não haver faixas, falta colaboração e bom senso dos motoristas e esse descaso está oferecendo riscos aos pedestres. “Falta bom senso, respeito e educação do condutor do veículo entender que a preferência é sempre do pedestre. E, como ninguém para pra gente passar o jeito é contar com a sorte para não ser atropelado”, comenta Wellington Silveira, que é funcionário de uma empresa no bairro.

De acordo com o Código Nacional de Trânsito, parar na faixa é uma obrigação do motorista. E quando este desobedecer pode haver multa. De acordo com o Conselho de Trânsito Brasileiro (CTB) não dar preferência é considerada infração grave e o valor da multa pode chegar até R$191,53 e 7 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Mas, pelo visto isso ainda não é de conhecimento da maioria dos condutores de veículos.

A BHTrans vem realizando, desde abril desse ano, pinturas especiais de faixas para travessia de pedestres em vias próximas às escolas. A cidade já possui 40 locais com novas faixas personalizadas próximas de escolas. Mas, pelo visto outros pontos da cidade precisam dessa atenção, como é o caso da Avenida Luiz Paulo Franco. Afinal, não é só criar novas vagas de estacionamento rotativo, o pedestre tem a preferência. Com a palavra, a BHTrans!

Jornal Belvedere

Artigos assinados são de inteira responsabilidade do autor. Não expressando, portanto, a opinião da redação do Jornal Belvedere.

Folhear Última Edição

269

 

Anuncie Aqui2016 05