23 Nov, 2017 Última atualização em 1:26 PM, Nov 13, 2017

Moradores contra heliporto na região do Belvedere

Publicado em Urbanismo
Lido 1923 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Associações representativas dos moradores e comerciantes recorrem ao Ministério Público contra ponto de helicóptero que está sendo construído na Avenida Jornalista Djalma Andrade, 1.681, próximo à Fundação Torino.

Helicoptero1

Os presidentes das Associações dos Amigos do Bairro Belvedere (AABB), dos Moradores do Belvedere (AMBB), dos Moradores do Alto Santa Lúcia e dos Comerciantes do Belvedere enviaram um ofício à Promotora Marta Alves Larcher, coordenadora da Promotoria de Habitação, Urbanismo e Meio Ambiente de Belo Horizonte do Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MPMG) solicitando uma reunião em caráter de urgência com o objetivo de discutir uma obra que está sendo erguida na Avenida Jornalista Djalma Andrade, 1.681, próxima à Fundação Torino.

Os dirigentes das associações buscam apoio da Promotoria de Habitação e Urbanismo do Ministério Público para embargar a obra, de seis pavimentos e área total de 3.500m2 de construção, que vai abrigar um heliporto na região do Belvedere.

Segundo Ubirajara Pires, da Associação dos Amigos do Bairro do Belvedere, a obra que está sendo executada pela empresa PHM, está em ritmo acelerado, no intuito de tornar a edificação irreversível.  Ele informou também que a construção está ao lado de residências familiares e no local há, inclusive, dois tanques em alumínio com a indicação de combustível para aviação.

Ricardo Jeha, da Associação dos Moradores do Bairro Belvedere, informou que o projeto foi aprovado pela Prefeitura de Belo Horizonte como sendo uma obra residencial: “É inadmissível a aprovação dessa construção, sem licenciamento específico para a sua finalidade que é um heliporto. Esta obra apresenta características muito mais comerciais do que residenciais”, explicou Jeha.

No documento enviado à Promotoria Pública, os dirigentes ressaltam que a localização desse projeto em área exclusivamente residencial, aos pés da Serra do Curral e no entorno da Estação Ecológica do Cercadinho, merece uma avaliação criteriosa por parte dos órgãos ambientais e no âmbito do Estado, não apenas na esfera municipal.

As entidades já enviaram outros ofícios a órgãos competentes e também às secretarias municipais Regional Centro-Sul e de Regulação Urbana, mas até o momento as apreensões dos moradores com relação à irregularidade dessa obra não surtiram efeitos dentro daquelas autarquias, pois nenhuma providência efetiva foi tomada ainda.

Próximo ao local onde está sendo erguida a construção há outros helipontos particulares utilizados pelos proprietários de aeronaves. É comum moradores se depararem com a manobra e o barulho dos helicópteros nos pousos e decolagens naquelas residências.

Última modificação em Quinta, 27 Setembro 2012 17:12
Jornal Belvedere

Artigos assinados são de inteira responsabilidade do autor. Não expressando, portanto, a opinião da redação do Jornal Belvedere.

Folhear Última Edição

271

 

Anuncie Aqui2016 05