Desenvolvimento e aprendizagem ampliados

Publicado Sexta, 10 Agosto 2018 13:20
Fundação Torino: Alunos da Scuola Materna durante aula de Programação © Foto: Divulgação/Fundação Torino Fundação Torino: Alunos da Scuola Materna durante aula de Programação © Foto: Divulgação/Fundação Torino

Mesmo diante da Base Nacional Comum Curricular, na Fundação Torino, o trabalho pedagógico da Scuola Materna leva em consideração a ideia de que a criança tem suas peculiaridades e formas específicas de aprender.

Professores da Educação Infantil de todo o país preparam-se para pôr em prática as definições da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) – homologada em dezembro de 2017, pelo Ministério da Educação –, que explora os campos da experiência como a nova proposta para a educação das crianças. O objetivo é romper com a perspectiva de um ensino baseado somente nas disciplinas, e valorizar a estrutura curricular voltada ao estudante e naquilo que ele precisa vivenciar para garantir sua aprendizagem. A normas da BNCC são novidade para a maioria das instituições de ensino, mas, na Fundação Torino Escola Internacional, que segue as melhores práticas educacionais adotadas mundialmente, tais proposições já são adotadas há anos.

Na Fundação Torino, o trabalho pedagógico da Scuola Materna leva em consideração a ideia de que a criança tem suas peculiaridades e formas específicas de aprender. “A BNCC nos dá mais uma confirmação de que a Escola está à frente. Contamos com proposta pedagógica para crianças de 2 a 6 anos que estimula os campos da experiência e perpassa várias áreas do conhecimento. Nossos alunos têm aprendizado ampliado desde a educação infantil”, ressalta Magda Casarotti, diretora da Scuola Materna da Fundação Torino.

A instituição propõe um tema central para ser trabalhado a cada semestre letivo, englobando os diversos campos da experiência. Em 2016, por exemplo, a partir do tema “Os Grandes Pintores e as Cores da Vida”, os alunos aprenderam sobre a Capela Sistina e os afrescos pintados por Michelangelo. Depois, tiveram a oportunidade de, deitados na sala de aula, pintar usando uma folha de papel colada debaixo da carteira, uma forma de experimentar traços, cores e formas. Explorando o corpo, gestos e movimentos, em 2017, envolvidos no tema “A Europa entra em classe”, os alunos criaram suas próprias castanholas e fizeram uma apresentação de dança flamenca.

Além de sua proposta pedagógica, a Fundação Torino tem investido muito em tecnologia e agido de forma pioneira, implantando a linguagem de programação na gradecurricular, oferecida a partir da Scuola Materna, e disponibilizando a robótica como atividade extracurricular. Em termos culturais e formativos, as atividades rompem as paredes da sala de aula e os alunos são estimulados a participar de encenações teatrais, performances artísticas, recitais de poesia e atividades que também envolvam a comunidade.

Um jornal moderno, com a credibilidade e a leveza no jeito diferente de informar. Notícias, cultura, gastronomia, negócios, eventos e muito mais sobre um dos bairros mais charmosos de BH.

31 3264.0211 | 3286.1181

Edição Digital

Inscreva-se e receba o Jornal Belvedere em formato PDF.

Não mandaremos Spam!