Plano de Manejo da Estação Ecológica do Cercadinho é debatido

Publicado Sexta, 09 Março 2018 18:31

Encontro começou a definir Plano que tem por objetivo minimizar ou reverter situações de conflito na Estação Ecológica, além de otimizar situações que são favoráveis à preservação ambiental do local.

Representantes do Instituto Estadual de Florestas (IEF), da Copasa, de vários órgãos ambientais, Associações e a Promutuca estiveram reunidos, no último dia 2 de março, para debater o Plano de Manejo da Estação Ecológica o Cercadinho. Criada em janeiro de 2006 pela Lei 15.979, a Estação Ecológica tem por finalidade proteger o manancial de abastecimento público do Cercadinho, bem como o aqüífero, a flora, a fauna, o solo e a paisagem do local. No seu artigo 3º, a lei determinava a necessidade de realização do Plano de Manejo no prazo de 18 meses após a sua publicação, e finalmente agora o processo começa a ser concluído.


Segundo informou Ubirajara Pires, que esteve presente à reunião, o objetivo do plano de manejo é minimizar ou reverter situações de conflito na Estação Ecológica, além de otimizar situações que são favoráveis à preservação ambiental do local. Ele informou que na ocasião o IEF e a Copasa apresentaram os trabalhos que estão sendo realizados por uma empresa de Santa Catarina, que fez um primoroso levantamento da fauna local e de invasões na Estação. Ainda segundo Ubirajara, foram formados grupos de trabalho para discussão de itens do plano e que em breve será feita uma convocação para apresentação de um relatório final de aprovação do plano de manejo.

Após a criação de uma Unidade de Conservação (UC), o plano de manejo deve ser elaborado em um prazo máximo de cinco anos. Toda UC deve ter um plano de manejo, que deve ser elaborado em função dos objetivos gerais pelos quais ela foi criada.

O plano de manejo é um documento consistente, elaborado a partir de diversos estudos, incluindo diagnósticos do meio físico, biológico e social. Ele estabelece as normas, restrições para o uso, ações a serem desenvolvidas e manejo dos recursos naturais da Unidade de Conservação, seu entorno e, quando for o caso, os corredores ecológicos a ela associados, podendo também incluir a implantação de estruturas físicas dentro da UC, visando minimizar os impactos negativos sobre a UC, garantir a manutenção dos processos ecológicos e prevenir a simplificação dos sistemas naturais.

Geralmente, após a criação de uma UC, o plano deve ser elaborado em prazo máximo de cinco anos e levar em consideração os objetivos pelos quais essa unidade foi criada. Uma das ferramentas mais importantes do plano de manejo é o zoneamento da UC, que a organiza espacialmente em zonas sob diferentes graus de proteção e regras de uso. O plano de manejo também inclui medidas para promover a integração da UC à vida econômica e social das comunidades vizinhas, o que é essencial para que implementação da UC seja mais eficiente. É também neste documento que as regras para visitação da são elaboradas.

Corredor Ecológico

Durante os trabalhos, o diretor da Promutuca, Flávio Krollmann, fez uma apresentação do Corredor Ecológico do Vale do Mutuca, ressaltando a importância de sua instalação, mostrando a relevância desse corredor da biodiversidade que liga a Bacia do Rio das Velhas ao do Paraopeba, e que possibilita o deslocamento de animais, a dispersão de sementes e o aumento da cobertura vegetal de suas regiões.

Um jornal moderno, com a credibilidade e a leveza no jeito diferente de informar. Notícias, cultura, gastronomia, negócios, eventos e muito mais sobre um dos bairros mais charmosos de BH.

31 3264.0211 | 3286.1181

Edição Digital

Inscreva-se e receba o Jornal Belvedere em formato PDF.

Não mandaremos Spam!