Barragens infernais

Publicado Quarta, 11 Abril 2018 14:10
Rio Acima: Barragem de rejeitos da Mundo Mineração © Foto: divulgação / YouTube Rio Acima: Barragem de rejeitos da Mundo Mineração © Foto: divulgação / YouTube

Paulo André Mendes / Geógrafo e jornalista, colaborador da ArcaAmaserra / www.amaserra.org

Dois anos depois da tragédia de Mariana, as barragens de rejeitos de mineração existentes ao redor de Belo Horizonte seguem nos assombrando.

Desta vez o foco da preocupação é o município de Rio Acima, na Região Metropolitana. São duas barragens, localizadas em um afluente da margem esquerda do rio das Velhas.

Portanto, estamos falando de barragens que ficam na encosta leste do complexo da Serra da Moeda – a encosta que é voltada para a bacia do rio das Velhas (do outro lado da serra fica a bacia do rio Paraopeba).

As barragens fazem parte do chamado Complexo Fernandinho, uma área de extração de minério de ferro operada pela Minérios Nacional S.A. Essa empresa é uma sociedade liderada pela Companhia Siderúrgica Nacional.

Rio Acima, vale lembrar, já abriga uma barragem em situação crítica – pertencente a uma mineração de ouro que fechou as portas e deixou o país. Em colunas anteriores já tratamos deste caso.

Atuação do Ministério Público

As duas barragens apresentam, segundo o Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MPMG), sério risco de rompimento. O órgão apresentou, no mês de março, ação civil pública, com o objetivo de obrigar a empresa a adotar medidas que garantam a segurança das estruturas.

Segundo o MPMG, “as conclusões alcançadas no Laudo Técnico elaborado são estarrecedoras e evidenciam situação de risco iminente de ruptura, decorrente da condição de instabilidade identificada nas estruturas de contenção de rejeitos existentes no Complexo Minerário Fernandinho”.

Impactos previstos

As barragens estão localizadas no córrego Fazenda Velha. Em caso de rompimento, os rejeitos de mineração depositados nas barragens (cerca de 9 milhões de metros cúbicos) descerão pelo córrego Fazenda Velha e chegarão ao rio das Velhas, a apenas 7 km abaixo.

Mais 7 km separam esse ponto da área urbana de Rio Acima. Em seguida, o rio das Velhas passa por Honório Bicalho, já em Nova Lima, local em que fica situada a Estação de Tratamento de Água (ETA) de Bela Fama.

Bela Fama, a única ETA do Sistema Rio das Velhas, capta água diretamente no leito do rio das Velhas.

Essa ETA, segundo dados fornecidos pela sua operadora (a COPASA) abastece 60% da população de Belo Horizonte e em torno de 35% de toda a população da sua região metropolitana.

Você se lembra das imagens de Mariana. Assim sendo, o problema é autoexplicativo, não?

Insanidade?

Agora o leitor precisa observar um ponto importante: a situação relatada acima envolve duas barragens, com um total de 9 milhões de metros cúbicos de rejeitos. Já escrevemos aqui várias vezes (uma delas em novembro de 2017) sobre as três barragens gigantes planejadas para a região de Belo Horizonte. Pois bem, uma delas, a maior de todas, seria construída exatamente nesta região. Fazenda Velha.

A sua capacidade? 540 milhões de metros cúbicos. Um volume dez vezes maior do que aquele que desceu pelo rio Gualaxo do Norte, em Mariana, no dia 5 de novembro de 2015.

Sim, 540 milhões de metros cúbicos.

Um jornal moderno, com a credibilidade e a leveza no jeito diferente de informar. Notícias, cultura, gastronomia, negócios, eventos e muito mais sobre um dos bairros mais charmosos de BH.

31 3264.0211 | 3286.1181

Edição Digital

Inscreva-se e receba o Jornal Belvedere em formato PDF.

Não mandaremos Spam!