É preciso primar pelo desenvolvimento ecologicamente sustentável

Publicado Sexta, 08 Junho 2018 18:33

Nesta semana do meio ambiente, mister destacar as reais intenções da PROMUTUCA, associação com 30 anos de constituição, sem fins lucrativos e que sobrevive, apenas, das contribuições dos condomínios que fazem parte do Vale do Mutuca.

Manoel Caillaux / Presidente da PROMUTUCA / www.promutuca.com.br • Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Pois bem, a PROMUTUCA não é contra empreendedores e mineradoras. Ela entende que, neste país, devemos primar pelo desenvolvimento, emprego, circulação de riquezas e pela arrecadação de tributos. Esta associação é a favor destes segmentos desde que sejam ecologicamente sustentáveis.

No presente caso, sempre será oportuno destacar que é bíblico o entendimento no sentido de que há de se chegar um dia em que o homem terá dinheiro e não terá o que comprar. E por que mencionamos isso? Porque é importantíssimo ressaltar que inúmeros empreendimentos não têm o menor compromisso com o nosso futuro, tampouco com um meio ambiente preservado, equilibrado. Tampouco a grande maioria de nossa classe política.

Há, ainda, uma classe empresária que é inteiramente imediatista, igual a grande maioria dos políticos deste país, que não pensam no amanhã, tampouco em realizar seu empreendimento de maneira ecologicamente correta. A PROMUTUCA vem deparando com inúmeros problemas inerentes a soterramentos de importantes nascentes por parte de alguns empreendimentos imobiliários, de corte total da interligação do corredor ecológico do Vale do Mutuca com outros biomas, de supressão de vegetação fechada de Mata Atlântica e de edificações em áreas com inclinações superiores a 25% (vinte e cinco por cento).

A PROMUTUCA, ainda, vem deparando com o enorme desrespeito por parte de alguns empreendedores com a zona de amortecimento do Parque do Rola Moça, eis que tentam edificar seus empreendimentos em tal local, impactando significativamente o parque e o nosso meio ambiente.

Sempre utilizamos como referência o Vale dos Cristais, que preservou integralmente a interligação do corredor ecológico do Vale do Mutuca com outros biomas, propiciando a coleta de imagens, via câmeras traps da PROMUTUCA, de inúmeros animais raros, ameaçados de extinção.

Até quando teremos que nos deparar com segmentos que não têm a menor preocupação com o futuro de nossa nação, tampouco com a sustentabilidade, com o excessivo consumo de água e aumento significativo da malha viária? Até quando teremos que nos preocupar com alguns empreendedores e políticos que nunca se preocuparam com um meio ambiente preservado, equilibrado? Até quando teremos que observar inúmeros biomas de nosso país sangrarem em silêncio, a exemplo do cerrado, caatinga e mata atlântica, onde o Estado de Minas Gerais, por muito tempo, vem sendo o campeão em devastação/supressão de mata atlântica?

Num futuro próximo, nossos descendentes verão o quanto erraram estes empreendedores e políticos, ao perceberem que terão dinheiro e não terão o que comprar. Lamentavelmente, nossos descendentes perceberão com enorme dor, que estes empresários visavam, única e exclusivamente, o lucro e instalaram seus empreendimentos sem qualquer infraestrutura viária, hidrológica ou relativa à preservação do único corredor ecológico da grande Região Metropolitana de Belo Horizonte e que interliga as bacias dos rios das Velhas ao Paraopeba, que é o Vale do Mutuca.

Um jornal moderno, com a credibilidade e a leveza no jeito diferente de informar. Notícias, cultura, gastronomia, negócios, eventos e muito mais sobre um dos bairros mais charmosos de BH.

31 3264.0211 | 3286.1181

Edição Digital

Inscreva-se e receba o Jornal Belvedere em formato PDF.

Não mandaremos Spam!