Destino do antigo terreno da Mineração Lagoa Seca começa a ser traçado

Publicado Quinta, 11 Outubro 2018 17:30
Projeto: Vista do Complexo Minerário Acaba Mundo e do Corredor Ecológico da Serra do Curral © Foto Divulgação/cedida Carlos Eduardo Orsini Projeto: Vista do Complexo Minerário Acaba Mundo e do Corredor Ecológico da Serra do Curral © Foto Divulgação/cedida Carlos Eduardo Orsini

Projeto prevê a criação de uma Reserva Particular Ecológica, além espaços destinados para lazer, esporte, cultura e convivência.

A Mineração Lagoa Seca, situada ao pé da Serra do Curral, entre os Bairros Mangabeiras, Sion e Belvedere, vem sendo explorada há mais de 50 anos, muito antes da formação desses bairros. A sua concessão e renovação do licenciamento expiraram em 2012, ficando sob responsabilidade da empresa a recuperação e destinação da área ao uso público coletivo, conforme disposto nas condicionantes. O assunto foi discutido, recentemente, em Audiência Pública da Comissão de Meio Ambiente e Política Urbana da Câmara de Vereadores. No próximo dia 24 de outubro, às 19 horas,  uma nova Audiência Pública, promovida pela Secretaria de Meio Ambiente de Belo Horizonte, será realizada para apresentar o projeto de aproveitamento da área.

O JORNAL BELVEDERE ouviu o engenheiro de minas, Carlos Eduardo Orsini, que é consultor e contratado pela Ima Lagoa Seca para a revisão do Plano de Fechamento de Mina (PAFEM) e pelas informações complementares exigidas pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente. A proposta para atendimento da condicionante nº 29 é a criação de um projeto denominado “Legado da Serra” que vista proteger ambientalmente a área, conectar ao Corredor Ecológico da Serra do Curral e proporcionar à sociedade um espaço de uso público coletivo, alinhado com todos os 17 objetivos internacionais de desenvolvimento sustentável.

O Legado da Serra será implantado sem onerar os cofres públicos e prevê a criação de uma Reserva Particular Ecológica em uma área que pode chegar a 1.200.000 metros quadrados, com espaços destinados para lazer, esporte, cultura e convivência.

Abaixo publicamos o artigo do Engenheiro Carlos Eduardo Orsini, onde ele apresenta o projeto.

O Corredor Ecológico da Serra do Curral e o Legado da Serra

Carlos Eduardo Orsini / Engenheiro de Minas e Consultor

A atividade minerária na área da Mineração Lagoa Seca teve início no final do Século XIX. Em 1895, geólogos enviados pelo Governo de Minas escolheram cinco pedreiras para fornecer pedras para a construção de Belo Horizonte:  Pedreira Prado Lopes, do Carapuça, da Lagoinha, do Morro das Pedras e a Pedreira do Acaba Mundo. Da Pedreira do Acaba Mundo foi levado material para a construção dos prédios públicos e do Palácio da Liberdade.

No início do Século XX, a nova e promissora capital de Belo Horizonte atraiu importantes empreendedores como o Coronel Benjamim Guimarães.

De família humilde, aos 13 anos de idade, Benjamim Guimarães saiu de sua cidade no interior de Minas Gerais para trabalhar no Rio de Janeiro como caixeiro. Com seu árduo trabalho e grande visão de futuro tornou-se um grande empresário do setor têxtil, navegação, sistema bancário, entretenimento, construção civil e mineração.  Gerou milhares de empregos... Criou política de defesa de seus colaboradores, que inspirou Getúlio Vargas na consolidação das leis trabalhistas.

Foi reconhecido pelo presidente da República por sua cooperação para o engrandecimento espiritual e material do Brasil. Contribuir para o desenvolvimento nacional não era suficiente...  Para o Coronel e sua família, também era muito importante ajudar seus trabalhadores, as pessoas mais necessitadas e resolver problemas sociais.
Onde suas empresas estão, sua família realiza investimentos sociais significativos. Em diversas cidades foram criadas instituições de assistência social, creches, escolas, orfanatos, asilos, hospitais, dentre eles o Hospital da Baleia.

Mineração Acaba Mundo

A Mineração Lagoa Seca é um dos empreendimentos de sua família. Criada na década de 1940, na área da antiga Pedreira do Acaba Mundo, seu minério teve um importante papel no desenvolvimento da indústria de aço e refratários no período pós-guerra, além de continuar contribuindo para diversas obras em Belo Horizonte.
Está localizada no sopé da Serra do Curral, marco geográfico de Belo Horizonte e importante patrimônio paisagístico, histórico e cultural brasileiro. Conserva até hoje o casarão construído na década de 1930 pela família do Coronel e que acabou se tornando a primeira sede do Country Club da cidade.

É vizinha dos bairros mais ricos de Belo Horizonte e também da Vila Acaba Mundo, comunidade de baixa renda, mas com uma grande riqueza de valores culturais e ambientais.

Com a paralização das atividades da Mineração Lagoa Seca, em 2012, após diversas propostas, foi apresentado o Projeto Legado da Serra, que terá grande benefício para a cidade e, especialmente, para a Vila Acaba Mundo. Sem área de expansão urbana, ainda precisa de espaço para atividades agroecológicas, lazer, esporte, cultura, convivência e resgate da memória dos moradores, reestabelecendo sua identidade e uso sustentável da Serra do Curral.

Legado da Serra

A proposta do Legado da Serra é proteger ambientalmente a área, conectar ao Corredor Ecológico da Serra do Curral e proporcionar à sociedade um espaço de uso público coletivo, alinhado com todos os 17 objetivos internacionais de desenvolvimento sustentável.

Sem onerar os cofres públicos, prevê a criação de uma Reserva Particular Ecológica em uma área que pode chegar a 1 milhão e duzentos mil metros quadrados, tendo a comunidade da Vila Acaba Mundo participando do núcleo de sua gestão.

Serão destinados espaços para lazer, esporte, cultura e convivência. Diversas atividades produtivas sustentáveis poderão contribuir para a geração de trabalho e renda para os moradores da Vila Acaba Mundo, como horta e viveiro comunitários, ecoturismo, reciclagem, artesanato, culinária... As cavas serão destinadas para reserva estratégica de água para abastecimento da Região Metropolitana de BH, controle de vazão dos córregos, irrigação da horta e viveiro e, até, combate a incêndios. Um museu a céu aberto, onde poderão ser desenvolvidas atividades educativas e de pesquisa, sendo um centro de referência para escolas de meio ambiente, arquitetura e paisagismo. Seu objetivo é preservar nascentes, restaurar a vegetação e a fauna local, contribuindo para qualidade de vida para os bairros vizinhos e toda a cidade.

Vila Acaba Mundo e Associação Querubins

Carente de infraestrutura, a Vila Acaba Mundo vem há anos lutando pelo seu direito de propriedade e por outras atividades e ações que possam contribuir com a melhoria da vida da comunidade, seja na geração de empregos, atendimento médico-ambulatorial, áreas de lazer incluindo campo de futebol, horta comunitária e viveiro de mudas dentre outras. A Vila sempre teve uma relação muito estreita com o território da mineração, até que teve seu acesso limitado pelo cumprimento de normas de segurança da mineração.

Mais que um legado ambiental, é a oportunidade de transformar a Vila Acaba Mundo numa referência em preservação ambiental, organização social e convivência harmônica com os bairros vizinhos.

Da mesma forma, a Associação Querubins localizada em terrenos de proprietários das áreas adjacentes da mineração, tem sido de extrema importância para o processo de transformação social da Vila Acaba Mundo. Com funções sociais de extrema importância passou a ser um ícone na formação de jovens provenientes da Vila Acaba Mundo, oferecendo-lhes diversos cursos profissionalizantes, práticas esportivas e culturais.

Audiência Pública

No sentido de apresentar esse projeto para as comunidades envolvidas na região, a Secretaria de Meio Ambiente de Belo Horizonte, atendendo às premissas do Conselho Municipal de Meio Ambiente (COMAM) estará promovendo no próximo dia 24 de outubro, às 19 horas, uma Audiência Pública, cuja programação estará sendo divulgada oportunamente.

Trata-se, portanto, de uma excelente ocasião para todos conhecerem a essência e as perspectivas de um projeto que consolidará, no futuro, o Corredor Ecológico da Serra do Curral.

Um jornal moderno, com a credibilidade e a leveza no jeito diferente de informar. Notícias, cultura, gastronomia, negócios, eventos e muito mais sobre um dos bairros mais charmosos de BH.

31 3264.0211 | 3286.1181

Edição Digital

Inscreva-se e receba o Jornal Belvedere em formato PDF.

Não mandaremos Spam!