Nova Lima pode se tornar a Capital da Cerveja Artesanal

Publicado Segunda, 28 Maio 2018 14:54

Projeto reconhece a vocação do município e pretende impulsionar ainda mais esse segmento no Estado.

O município de Nova Lima (Região Metropolitana de Belo Horizonte) pode se tornar a Capital Estadual da Cerveja Artesanal. É o que propõe o Projeto de Lei (PL) 4.064/17, do deputado Fred Costa (PEN), que teve parecer de 1º turno aprovado nesta terça-feira (22/5/18), pela Comissão de Desenvolvimento Econômico da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

A proposição teve como relator o deputado Ivair Nogueira (PMDB), que opinou pela aprovação da matéria sem qualquer alteração, assim como fez a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), em análise precedente. O PL pode ser, agora, avaliado pelo Plenário.

O autor do projeto justifica que desde 2005 Nova Lima já vem se despontando como produtora de cerveja artesanal no Estado e é a responsável pelo atual apelido dado a Minas Gerais como a “Bélgica brasileira”. Todo segundo sábado de cada mês, é também realizada naquela cidade a Feira de Cerveja Artesanal Experimente, que reúne rótulos premiados e produzidos no Estado.

Fred Costa defende que o título poderia impulsionar ainda mais o segmento cervejeiro estadual, especialmente para os microempresários. No parecer, o relator destaca que, segundo o Sindicato das Indústrias de Cerveja e Bebidas em Geral de Minas Gerais, em 2017 já havia 51 microcervejarias no Estado.

Artesanais são tradição antiga na cidade

A tradição cervejeira em Nova Lima é antiga, data do século XIX, com a chegada do italiano Fioravante Eugênio Armani. “Para satisfazer o gosto dos ingleses que vieram para a cidade trabalhar com a exploração do ouro, Armani criou a Gabels, a primeira cerveja puro-malte mineira. Ela era conhecida como cerveja-barbante pois, naquele tempo, não se utilizavam tampinhas para fechar as garrafas, e sim, rolhas que precisavam ser amarradas com barbante e a ajuda de um garfo (Gabel em alemão)”, relata Fabiana Giorgini, gestora do Departamento de Turismo da cidade.

No ano passado, a Prefeitura criou o Selo do Polo da Cerveja Artesanal, criado pelo designer nova-limense Vittorio Othero Torchetti. Segundo Fabiana Giorgini, com a identidade visual definida, agora serão colocadas em prática as ações para a implementação do selo de qualidade. “Para ganhar o selo, em primeiro lugar a cervejaria tem que estar cadastrada no Ministério da Agricultura. Depois, uma empresa especializada realizará testes microbiológicos e sensoriais nas cervejas. Cada cervejaria tem que ter pelo menos 60% de seus rótulos alcançando uma escala mínima de 7 pontos para receber a certificação”, explica.

Ainda de acordo com a gestora, o selo de qualidade ajudará o município a se credenciar ainda mais como um polo cervejeiro de referência, não apenas no estado, mas em todo o país. “Atualmente temos 13 microcervejarias e 11 Home Brews (cervejeiros caseiros) instalados em Nova Lima, produzido um volume de 390 mil litros por mês da bebida, além de colecionarem prêmios nacionais e internacionais pela inovação de suas receitas”, afirma.

Circuito Cervejeiro

Como parte das ações para a consolidação do município como polo cervejeiro, Nova Lima também criou o “Circuito Cervejeiro”, um mapa para visitação às 13 microcervejarias instaladas na cidade. Os turistas que visitarem o roteiro ganharão o “Passaporte Cervejeiro”, onde poderá colecionar os carimbos recebidos em cada local visitado.
Segundo Fabiana Giorgini, o lema do Circuito Cervejeiro é: “Quem veio atrás de ouro, vai encontrar hoje o dourado das nossas cervejas, a alegria da nossa gente e o verde das nossas matas em perfeita harmonia”.

Um jornal moderno, com a credibilidade e a leveza no jeito diferente de informar. Notícias, cultura, gastronomia, negócios, eventos e muito mais sobre um dos bairros mais charmosos de BH.

31 3264.0211 | 3286.1181

Edição Digital

Inscreva-se e receba o Jornal Belvedere em formato PDF.

Não mandaremos Spam!