Um roteiro de final de ano no Egito Milenar

Publicado Sexta, 08 Junho 2018 18:00
Templo de Karnak: Imensas estátuas de Ramsés II, considerado um dos grandes locais cerimoniais do Antigo Egipto © Foto: divulgação / Wikipédia.com Templo de Karnak: Imensas estátuas de Ramsés II, considerado um dos grandes locais cerimoniais do Antigo Egipto © Foto: divulgação / Wikipédia.com

O Egito, sonho de consumo de milhões de pessoas, é um dos mais tradicionais roteiros internacionais do mundo.

Paulo Queiroga / Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

O Egito, felizmente, se abre novamente para o mundo, após a queda de um avião russo na península do Sinai em 2015, que gerou um período de instabilidade política. No Réveillon 2018/2019, embarcaremos novamente para este país ancestral, um dos berços da civilização, em roteiro exclusivo da Tchayka Operadora.

Após escala em Istambul, um voo nos leva à fascinante Cairo. Cidade daquelas para se visitar uma centena de vezes, pois, sempre surpreenderá o visitante. Mas, desta vez, vamos deixar o Cairo para o final da viagem, exceto a ida ao museu do Cairo, com seu acervo de mais de 120.000 antiguidades, para se ambientar com o Egito.

Um voo de menos duas horas ao Sul nos transporta ao imponente passado do “crescente fértil”. Desembarcamos em Luxor. O rio Nilo divide a cidade em duas partes: a margem ocidental, dedicada aos mortos, um dos mais famosos achados arqueológicos do mundo, o túmulo de Tutancâmon, incluindo joias, sarcófagos e a deslumbrante máscara mortuária; e a margem oriental, consagrada aos vivos e aos deuses da mitologia egípcia. O Templo de Karnak, na porção oriental, o maior do Egito, é um complexo gigantesco, cercado por muralhas de 2.4 Km de extensão, construído ao longo de quase 2.000 anos em homenagem aos deus Amon-Rá. As 134 colunas decoradas do Grande Salão Hipólito, dispostos em 16 fileiras, nos trazem à consciência nossa mísera dimensão.

No centro da cidade, a longa fileira de esfinges segue até o Templo de Karnak, com imensas estátuas de Ramsés II e um grande obelisco – cujo par, dado como presente à França, encontra-se hoje em Paris, na Place de la Concorde. Assistir ao raiar do dia a bordo de um balão no Vale dos Reis é como se juntar, no céu, à memória de dezenas de faraós, que escolheram aquele vale para passar a eternidade.

Passagem do ano

A passagem do ano se inicia ainda de dia, no Solaris II, embarcação com cabines amplas, varandas, decks com piscina, toda estrutura e bom nível de conforto. Serão 4 noites a bordo, com pensão completa, open bar, jantar de gala, show folclórico e a alegria dos festejos de despedida do ano velho.  

No dia 10 de janeiro, uma tradicional queima de fogos abre o ano novo e mais três dias em um fabuloso cruzeiro pelo Nilo na Terra dos Faraós. O templo de Hator, a deusa do Amor, equivalente a Afrodite para os gregos, foi construído no século I a.C. pelo rei Ptolomeu VIII e a rainha Cleópatra II. Nos dias seguintes, o cruzeiro no Solaris II inclui desembarque para passeio de charrete ao templo de Hórus em Edfu. Um gigantesco local de culto dos antigos, com 137 metros de comprimento, 79 de largura e 37 metros de altura é de causar espanto. Na Eclusa de Esna, uma enorme quantidade de pequenas embarcações vende de tudo.

As pirâmides

O cruzeiro continua. Muita fartura e alegria nos leva ao templo de Kom Ombo, magnificamente erguido às margens do lendário Rio Nilo, dedicado a dois deuses: Sober, com cabeça de crocodilo e Hórus, com cabeça de falcão.

O roteiro fluvial inclui ainda, visita a uma aldeia Núbia, com direito a um passeio exótico de camelo e ao colorido artesanato exposto nas ruelas da cidade. Uma tarde relaxante é navegar entre ilhas fluviais e as dunas de areia dourada, a bordo de uma “felluca”, pequeno veleiro típico, símbolo do Egito.

Um trecho rodoviário nos leva a Abu Simbel, às margens do Lago Nasser, Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Na década de 1960, ameaçados pelo aumento do nível das águas em função da construção da represa de High Dam, os templos foram recortados em pedaços e levados de sua localização original até uma nova colina, 61 metros acima da posição original.

Em Aswan, uma das maiores represas do mundo e colosso da engenharia moderna, completa a grandiosidade do passeio, antes de voltarmos ao Cairo e nos maravilhar com suas cores, sua cultura e sua gente.

De volta à capital, Cairo, a programação inclui as Catacumbas, Coluna de Pompeu e visita à famosa Biblioteca de Alexandria, a maior do mundo, que, atualmente, abriga uma coleção de 8 milhões de livros. E, claro, não podia faltar a principal atração do Egito - as três pirâmides Queops, Quefren e Miquerinos e a famosa Esfínge – que marcam para sempre nossa memória do fascinante Egito.

No Brasil, a Tchayka operadora (tchayka.com.br) oferece o roteiro mais exclusivo do Brasil para o Egito.

Um jornal moderno, com a credibilidade e a leveza no jeito diferente de informar. Notícias, cultura, gastronomia, negócios, eventos e muito mais sobre um dos bairros mais charmosos de BH.

31 3264.0211 | 3286.1181

Edição Digital

Inscreva-se e receba o Jornal Belvedere em formato PDF.

Não mandaremos Spam!