Bulgária: destino europeu surpreendente e barato

Publicado Sexta, 10 Agosto 2018 13:54
Sofia: São várias as igrejas e monumentos religiosos. A maioria da população segue a religião ortodoxa, o templo mais conhecido é a impressionante Igreja Alexandre Nevsky que se vê ao fundo © Foto: divulgação / Wikipedia.com Sofia: São várias as igrejas e monumentos religiosos. A maioria da população segue a religião ortodoxa, o templo mais conhecido é a impressionante Igreja Alexandre Nevsky que se vê ao fundo © Foto: divulgação / Wikipedia.com

Paulo Queiroga / Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Além dos monumentos religiosos e a história, o viajante pode ficar fascinado no pequeno país no Leste europeu com as ruas movimentadas, a vida noturna, as cervejas maravilhosas e a gastronomia.

A Bulgária recebe um número pequeno de turistas e menos ainda de brasileiros. Este pequeno país no Leste europeu, com 7.5 milhões de habitantes, faz divisa com a Romênia, Turquia, Grécia e o Mar Negro ao Leste. O resultado é uma mistura cultural de búlgaros, armênios, ciganos, judeus e outros povos, que surpreendem com as igrejas, mosteiros, construções românicas, medievais, barrocas, neoclássicas e arquitetura soviética.

O Mar Negro é um cenário de batalhas. Sua história deixa registrados rastros culturais em disputas com trácios, persas, celtas, macedônios gregos, romanos, bizantinos, otomanos e soviéticos russos, além de uma grande quantidade de sítios arqueológicos.

O povo búlgaro, de origem turca, fundou seu primeiro estado unificado em 681 d.C, tomando-o do Império Romano e o transformando em importante centro cultural com os eslavos, durante a Idade Média. A natureza é generosa na região. As montanhas com esporte de neve, florestas, cachoeiras e o céu azul limpíssimo lembram antigos contos mágicos celtas.

Na capital, Sofia, são várias as igrejas e monumentos religiosos. A maioria da população segue a religião ortodoxa, ramo do Cristianismo primitivo, que se desligou do papado e dividiu a sede do Cristianismo entre Roma e Constantinopla. Hoje, a Igreja Ortodoxa é a segunda maior confissão religiosa do mundo, atrás apenas da Igreja Católica Romana.

Igreja Alexander Nevsk

O templo mais conhecido é a impressionante Igreja Alexandre Nevsky, construída em homenagem a São Cirilo e são Metódio, entre 1882 e 1912. A arquitetura em estilo ortodoxo e as imagens e pinturas merecem um estudo detalhado, mas, não podem ser fotografadas. Uma lojinha vende obras com os registros do templo e souvenires. O prédio abriga também um museu, com peças de todo o país, que compõem a Galeria Nacional da Bulgária.

Outro templo maravilhoso em Sofia é a pequena (em comparação às outras) Igreja de São Nicolau. As cúpulas douradas, os entalhes e o peso solene da arquitetura ortodoxa revelam a força da fé deste povo bravo.

A Igreja de São Jorge, uma das construções mais antigas, é encantadora. Ruínas de antiga rua construída pelos romanos no Século IV, o hipocausto, um engenhoso sistema de aquecimento romano e os afrescos fazem do local um tesouro de arquitetura e arte.

O Teatro Nacional Ivan Vasov, imponente edifício neoclássico, com fachada para jardins majestosos em estilo vienense, é uma das visitas obrigatórias.

Para além da religiosidade

Não são apenas as igrejas e a história que fascinam o viajante na Bulgária. As ruas movimentadas, a vida noturna, bares, restaurantes, as cervejas maravilhosas, a gastronomia (o yogurte búlgaro é considerado o melhor do mundo), praças com eventos públicos e a moçada jovem rompem com as tradições e colorem a cidade com hábitos da comunidade europeia contemporânea.

Os preços pagos em restaurantes e bares na cidade são muito baratos, os mais baixos da Europa. O salário médio está em torno de 530 euros e mais de um quinto da população é empregada com um salário mínimo, que gira em torno de um euro por hora.

A dificuldade, talvez, a maior, para o visitante na Bulgária, seja a língua. O alfabeto Cirílico e a pouca fluência da língua inglesa no país dificultam a comunicação. Mas, nada como recorrer à tecnologia para resolver isso. Existem programas que podem ser baixados em smartphones, que leem as placas de rua e as traduzem em alfabeto latino.

De qualquer forma, até mesmo as pequenas dificuldades encantam ainda mais uma estada inesquecível neste país rico em história, cultura e hospitalidade. E, principalmente, com baixo custo para nós brasileiros acostumados aos altos preços na Europa.

Não há voo direto do Brasil. É necessária uma escala em Frankfurt ou Munique.

Um jornal moderno, com a credibilidade e a leveza no jeito diferente de informar. Notícias, cultura, gastronomia, negócios, eventos e muito mais sobre um dos bairros mais charmosos de BH.

31 3264.0211 | 3286.1181

Edição Digital

Inscreva-se e receba o Jornal Belvedere em formato PDF.

Não mandaremos Spam!