Tallin, a cidade medieval mais bem preservada da Europa

Publicado Terça, 11 Setembro 2018 16:46
Patrimônio Mundial: O centro histórico de Tallin, Tombado pela Unesco, tem 2 km de muralhas de defesa, castelos, ruelas sombrias, 20 torres pontiagudas, vento, umidade e nevoeiro, respira uma atmosfera de mistério e romantismo © Foto: divulgação / Wikipedia.com Patrimônio Mundial: O centro histórico de Tallin, Tombado pela Unesco, tem 2 km de muralhas de defesa, castelos, ruelas sombrias, 20 torres pontiagudas, vento, umidade e nevoeiro, respira uma atmosfera de mistério e romantismo © Foto: divulgação / Wikipedia.com

Paulo Queiroga / Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Capital da Estônia, embora muito menor do que destinos turísticos consagrados da Europa, é encantadora e misteriosa e merece descobrir todo este patrimônio histórico  e cultural.

Há lugares que a gente sai de lá com a sensação de que a viagem está incompleta. Isso é comum em cidades como Paris, Londres e outras em que os atrativos parecem não ter fim. Tallin, capital da Estônia, embora muito menor do que destinos turísticos consagrados da Europa é um desses locais que foi preciso revisitar para me sentir plenamente satisfeito.

A longínqua Estônia, junto com a Letônia e Lituânia compõe os países Bálticos, que após a dissolução da União Soviética resgataram cada um, sua própria identidade. A região tem suas principais ligações por mar com a Finlândia e a Suécia e por trem ou ônibus, com S. Petersburgo, na Rússia.

Incrível é a capacidade de resistência e de recuperação do patrimônio arquitetônico e de seu passado, após séculos de guerras, pilhagens e dominações estrangeiras de teutônicos, suecos, nazistas e soviéticos. O idioma seria um dos grandes obstáculos para o turista estrangeiro em Tallin, não fosse o uso do Inglês como segunda língua, com a expansão atual do turismo. Ainda assim, há situações em que nos sentimos em outro planeta, quando precisamos nos comunicar. O slogan da publicidade do turismo na cidade diz: A cold country with a warm heart (um país frio com o coração quente)

Foi lá que ouvi, pela primeira vez, a conhecida história de um turista estrangeiro que, ao sair do hotel, anotou num papel as letras da placa de rua onde ele estava para garantir o retorno sem se perder pela cidade. Quando tomou um táxi para voltar ao hotel, entregou o papel ao motorista, que, por sinal, falava inglês, e lhe respondeu: O senhor escreveu aqui “rua sem saída”. O nome da cidade deriva do estônio taani linn, “cidade dinamarquesa” referência ao tempo em que a Dinamarca ocupou a região.

O centro histórico de Tallin, Patrimônio Mundial da Unesco, com 2 km de muralhas de defesa, castelos, ruelas sombrias, 20 torres pontiagudas, vento, umidade e nevoeiro, respira uma atmosfera de mistério e romantismo.  A paisagem enche nossa imaginação sobre como era alí, na Idade Média, o agitado centro urbano e as atividades da Liga Hanseática, poderosa corporação comercial que dominava o porto no Golfo da Finlândia.

A cidade velha de Tallin, chamada de Vanallin, é dividida entre cidade baixa e cidade alta (Toompea). Chega-se ao centro histórico pelo Portal de Viru, construído no século XIV, com torres de defesa e principal entrada da cidade. O traçado urbanístico, entre muralhas, pedras irregulares, casas e sobrados, com ar sombrio e o peso da austera arquitetura urbana medieval converge para a Praça Municipal, a Raekoja Plats, onde se inicia o passeio a pé. A praça é ornamentada por lojas e bares com mesas nas ruas, onde servem carnes de caça e cervejas tradicionais, como o lendário Hidromel. Os garçons e garçonetes se vestem com trajes medievais e para completar o clima medieval, músicos tocam flauta doce e alaúde.

O belíssimo prédio da prefeitura, com uma torre altíssima, construído entre os anos de 1371 e 1404, é a principal e mais imponente edificação da praça. Ponto turístico inusitado nos arredores da praça é a farmácia Raeapteek, belíssima, que funciona ininterruptamente desde 1422. A Passagem de Santa Catarina, (Katariina Kaik) uma sombria construção com pedras enormes e artesãos trabalhando suas peças em vidro, parece o interior de um castelo medieval.

Do alto dos mais de 250 degraus da torre da Igreja de são Olavo, o maior edifício do mundo até o século XVII, tem uma vista panorâmica de 360 graus da cidade. Na colina de Toompea, onde ficam a Catedral Ortodoxa Alexander Nevsky e o Palácio de Toompea tem a melhor vista panorâmica com as águas do Golfo ao fundo entre telhados, árvores e torres.

A encantadora e misteriosa Tallin merece conhecê-la e reconhecê-la.

Um jornal moderno, com a credibilidade e a leveza no jeito diferente de informar. Notícias, cultura, gastronomia, negócios, eventos e muito mais sobre um dos bairros mais charmosos de BH.

31 3264.0211 | 3286.1181

Edição Digital

Inscreva-se e receba o Jornal Belvedere em formato PDF.

Não mandaremos Spam!