Istambul, o umbigo da civilização

Publicado Sexta, 26 Outubro 2018 19:46
Arquitetura bizantina: A Basílica de Santa Sofia, também conhecida como Hagia Sophia é um imponente edifício construído entre 532 e 537 pelo Império Bizantino para ser a catedral de Constantinopla. © Foto: divulgação / Wikipedia.com Arquitetura bizantina: A Basílica de Santa Sofia, também conhecida como Hagia Sophia é um imponente edifício construído entre 532 e 537 pelo Império Bizantino para ser a catedral de Constantinopla. © Foto: divulgação / Wikipedia.com

Paulo Queiroga / Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

As notícias de ataques terroristas e de instabilidade política na Turquia criam certo receio no viajante. Mas, o fato é que existem focos localizados. As grandes cidades e principais pontos de turismo estão fora de ameaças. Istambul é um deles e absolutamente fascinante.

Estrategicamente localizada no estreito de Bósforo, onde a Ásia e a Europa se unem, a cidade ponte entre o leste e o oeste foi o centro do mundo civilizado e palco de marcantes acontecimentos da História.
Istambul, que também já foi Bizâncio e Constantinopla é hoje uma metrópole com mais de 12 milhões de habitantes. Em mais de 9 mil anos de História, por lá passaram, os trácios, os hititas, os frígios, os celtas, os persas, os gregos, os romanos, judeus, cristãos e mulçumanos. Todos deixaram ali registros de suas culturas.

Mitos, Lendas e História
Fontes mitológicas registram que Istambul foi fundada pelo rei Bizas, filho de Poseidon, o Deus do Mar. Em 354, d.c, o Imperador romano, Constantino elevou a cidade à capital do Império Romano. Daí em diante chamada de Constantinopla do Leste, transformou-se na segunda maior cidade do Império, depois de Roma.
Cenário Urbano Monumental
Os monumentos que mais identificam Istambul se concentram no bairro antigo de Sulthanahmet. A praça Sultanahmet, chamada na época dos romanos de Hipódromo foi onde tudo aconteceu.
Lá está a Hagia Sofia (Santa Sabedoria) e o atual museu. A construção foi Iniciada no reinado de Constantino e o monumento funcionou 916 anos como igreja e 481 anos como mesquita.
Exemplo autêntico de arquitetura bizantina, a Hagia Sophia é a terceira maior catedral do mundo, atrás somente da Catedral de São Pedro, em Roma e da Catedral de Milão. Os arcos, as abóbadas em mármore, os minaretes e a decoração interna, com mosaicos impressionam.

Mesquita Azul
Brilhando para o estreito e ocupando lugar especial na Praça Sulthanahmet está a Mesquita Azul, conhecida pelos rebuscados azulejos azuis, que embelezam as paredes do interior. O Sultão Ahmed I, de personalidade religiosa, mandou construir a mesquita com base no verso do Corão: “Quem constrói uma mesquita para Deus, tão pequeno como o ninho de pássaros, será recompensado com uma casa no Céu.” Os enormes domos de arquitetura otomana revolucionária para a época e os minaretes como agulhas iluminadas apontadas para o céu, anunciam ao mundo civilizado a glória e o poder do Islamismo.”
Na Mesquita Azul é que, na tradição do décimo segundo dia do mês do Ramadã, os mulçumanos recitam solenemente o Corão e cantam os poemas que relatam o nascimento do Profeta Maomé.

Palácio dos Sultões
O Museu Topkapi, que foi centro de administração do império Otomano e residência dos sultões é um testemunho da vida luxuosa do período. Pavilhões, portais imensos, suntuosos salões, joias do sultanato e área reservada ao Harém – palavra que significa “proibido” - revelam a verdadeira dimensão da riqueza e do luxo dos sultões.  
A barganha é obrigatória na cultura mulçumana. Ao andar pelas ruas, você é literalmente assediado para comprar alguma coisa. Mas, tudo com muita simpatia e hospitalidade, num envolvente jogo de sedução. Dizer que é brasileiro é palavra chave. Aí, começam a recitar os nomes dos jogadores da seleção, lhe dão brindes e lhe oferecem chá. Quando você se dá por si, já está pagando por algo.
No Gran Bazar, a origem dos shoppings centers modernos, você encontra bijouterias em prata, joias, tapetes, roupas, echarpes de seda e de pashimina, utensílios de cozinha, objetos orientais de decoração, narguilés, cerâmica, luminárias, temperos e alimentos, uma sedutora e perigosa ameaça aos bolsos. É impossível não comprar.
Melhor período para conhecer Istambul é de abril a novembro. A cidade é segura, os voos estão relativamente baratos e o umbigo do mundo continua fascinante.

Um jornal moderno, com a credibilidade e a leveza no jeito diferente de informar. Notícias, cultura, gastronomia, negócios, eventos e muito mais sobre um dos bairros mais charmosos de BH.

31 3264.0211 | 3286.1181

Edição Digital

Inscreva-se e receba o Jornal Belvedere em formato PDF.

Não mandaremos Spam!